Lembra-se do que António Costa prometeu para 20 de junho? Então veja se ele cumpriu

CNN Portugal , PF; com Lusa
1 jul, 18:18

Costa garantiu que parte dos problemas do SNS “estariam resolvidos” a 20 de junho. Junho já acabou mas há coisas que não acabaram em junho - a crise no SNS prossegue

O primeiro-ministro, António Costa, desdramatizou a 17 de junho os problemas enfrentados por vários hospitais do SNS nos dias anteriores, garantindo que na segunda-feira seguinte, dia 20, parte deles “já estariam resolvidos” pois, naquele período, muito profissionais de saúde estavam “legitimamente” de férias.

Contudo, de Norte a Sul do país são vários os hospitais que continuam a sofrer constrangimentos, principalmente nos serviços de urgências. Uma das situações mais delicadas é a do Hospital de Braga. A partir desta sexta-feira, as urgências de Cirurgia Pediátrica desta unidade estarão encerradas durante a noite por tempo indeterminado. Em resposta enviada à Lusa, a administração adianta que, no período entre as 20:00 e as 8:00, fica apenas assegurada a observação de crianças já internadas e daquelas que foram submetidas a cirurgia nos últimos 30 dias e que recorram à urgência por motivo relacionado com essa mesma cirurgia.

A situação no Hospital de Braga levou ainda os responsáveis pela Urgência Metropolitana de Cirurgia Pediátrica do Porto, que engloba três centros hospitalares, a temerem “uma sobrecarga” nos seus serviços e a exigir “mais planeamento”.

Também esta semana, das 8:00 do dia 26 de junho até às 8:00 do dia 27, as urgências de Ginecologia e Obstetrícia deste hospital estiveram encerradas devido à "impossibilidade de se completarem as escalas de trabalho necessárias".

Na região de Lisboa, o Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, tem sido igualmente afetado pelos constrangimentos. Entre a noite desta sexta-feira e as 20:00 de sábado, o serviço de urgências de Ginecologia e Obstetrícia desta unidade não receberá utentes, tendo a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) pedido às grávidas para se dirigirem a outros hospitais caso necessitem de assistência. De recordar que este serviço esteve também encerrado da tarde de 23 de junho às 15:00 do dia seguinte.

Na capital, a UCI para doentes respiratórios do Santa Maria esteve encerrada esta quinta-feira por falta de médicos, denunciou o Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS). "É com grande preocupação que o Sindicato dos Médicos da Zona Sul teve conhecimento do encerramento da Unidade de Cuidados Intensivos Respiratórios do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, uma das maiores e mais importantes do país, durante o dia de hoje, 30 de junho", referiu o sindicato em comunicado enviado às redações.

A Sul, a situação também é preocupante. O bloco de partos do Hospital de Portimão esteve encerrado no fim de semana de 25 e 26 de junho, devido à dificuldade em assegurar as escalas de Pediatria, o que dificultou também o normal funcionamento da urgência de Ginecologia e Obstetrícia.

Devido à crise vivida, a Ordem dos Médicos lançou um apelo ao Governo por causa da região do Algarve, cuja população aumentará em grande número durante o verão. “É muito pouco provável que até ao verão a situação esteja resolvida. Não é só em Pediatria e Obstetrícia. É num conjunto de especialidades que vão necessitar de mais capital humano, seja em Faro ou em Portimão”, disse Miguel Guimarães à CNN Portugal no dia 25 de junho, mencionando a previsível chegada de turistas estrangeiros à região, o que pode fazer subir o número de população para 1,5 milhões de pessoas, quando fora da época de verão não ultrapassa as 500 mil.

País

Mais País

Patrocinados