O escudo ainda dá dinheiro? Quanto mais antigo, melhor

19 fev, 12:00
Moedas

Até 28 de fevereiro, o Banco de Portugal poderá trocar as notas de escudos por euros, se corresponderem ao período compreendido entre 1996 e 1997. Já no colecionismo há espaço para outros tesouros, onde o "velho" é sinónimo de "dinheiro".

"Quando entrou o euro, os escudos deixaram de ter grande procura", lamenta Carlos Tomé, de 55 anos, proprietário da Filatelia do Chiado, em Lisboa. "Tínhamos listas de clientes, era só telefonar e as pessoas vinham buscar”, desde então, foi o contrário: “Temos os escudos, mas não temos os clientes”. Assim que surgiu, o euro era a novidade. “Foi mesmo brutal, havia imensos países com moedas diferentes e toda a gente começou a colecionar”, lembra, afirmando que foi o período em que a loja vendeu e comprou mais. “A Rua do Carmo parecia uma feira”, graceja.

Como ficaram os escudos? “Há de tudo, mas em geral o preço baixou”, responde o numismata. Uma moeda de 1 escudo de 1924 vale 100 euros, ao passo que uma de 2001 já só vale 2 euros. “Tudo o que é da república baixou um bocado”. O mesmo aconteceu com as notas, mas se estas tiverem sido "rigorosamente preservadas" o valor pode ser ligeiramente mais alto. Por exemplo, uma nota de 1000 escudos de 1938 pode ser vendida por cerca de 500 euros, de 1956 pode atingir os 200 euros, de 1961 chega aos 130 euros, de 1982 desce para 25 euros, e 1996 já só custa cerca de 15 euros. Por outro lado, se as notas estiverem dobradas, o casal aconselha as pessoas a dirigirem-se ao Banco de Portugal para trocar antes de dia 28, “depois disso é só papel”. 

Alteração do valor do escudo entre 1915 e 2001
Nota de 1000 escudos de 1938

E as outras moedas?

Nas várias montras de vidro que circundam da loja, os clientes que entram conseguem ver de tudo um pouco: Escudos, euros, libras, selos, entre outros artigos, dos mais antigos aos mais recentes, que fazem as delícias de vários colecionadores. Mas o que é que tem mais procura? “O ouro tem sempre”, garante Carlos, explicando que a instabilidade económica gera receio entre as pessoas, levando-as a recorrer a metais preciosos. “Têm medo de que os bancos caiam na falência, por isso guardam-no de formas diferentes”. Ao seu lado, a esposa continua: “A libra é dinheiro em caixa, pode ser vendida aqui ou noutro país qualquer, e a diferença entre a compra e venda não é muito grande”. Alexandrina Tomé diz que o mesmo não acontece com o dinheiro que transportamos, sendo que corre o risco de ser desvalorizado. “O ouro vai oscilando, mas a tendência é sempre subir”, remata. Uma libra de ouro pode valer entre centenas a milhares euros, dependendo do modelo e peso. Em prata, o preço já desce para dezenas.

Libras de ouro

Além das moedas da monarquia, "se estiverem bonitas", as moedas de 2 euros também são as que atraem mais clientes ao mercado da numismática, sobretudo as comemorativas. Cada país da zona Euro pode cunhar duas moedas deste tipo, todos os anos, e ainda uma terceira em comum, como a moeda alusiva ao Erasmus que surgirá em 2022. O valor depende sobretudo do estado em que se encontra, e da raridade. "Na Alemanha são quase sempre monumentos ou personalidades", diz Carlos, e por isso o preço ronda apenas os 4 euros. Já no Luxemburgo, uma moeda alusiva ao 40.º aniversário do casamento do grão-durque Henri com a grã-duquesa Maria Theresa pode valer cerca de 22 euros, ainda que seja recorrente a presença de um monarca. Séries especiais produzidas em menor número apresentam preços sigificativamente mais elevados, entre elas as do Vaticano, a 65 euros, e as que serviram de homenagem aos "Heróis da Pandemia", a 79 euros.

Série especial do Vaticano

Preservação é crucial

Atrás do balcão numa pequeníssima loja, o lojista folheia um dossier repleto de moedas cuidadosamente guardadas em folhas de cartão, para não oxidarem. Aprendeu as técnicas de conservação adequadas através da Lindner e da Leuchtturn, empresas alemãs com mais de 100 anos e líderes na área. “É de lá que importamos maior parte do material”, conta a sua mulher à CNN Portugal, e acrescenta: “Em Portugal costumam guardar as moedas em plástico, depois é uma chatice porque começam a oxidar”. 

Carlos e Alexandrina Tomé

Carlos pega no telemóvel para consultar as mensagens e solta uma gargalhada. Um cliente perguntou se comprariam algumas moedas de 2 euros que tinha em sua posse. “São moedas da Grécia normais, todas usadas, mas pensam que isto vale”, comenta. “Todas as moedas que vendemos são retiradas de rolos, e com luvas”. Alexandrina alerta para os valores apresentados na internet que tendem a ser mais altos do que são na realidade, isto porque dizem respeito a moedas rigorosamente preservadas. “Por vezes não vale só ter o mesmo boneco, também não podem estar estragadas”, e conclui em tom de brincadeira: “Caso contrário estavam todos ricos”.  

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados