Talibãs proíbem mulheres de frequentar feiras e parques de diversões

10 nov, 11:01
Parque Zazai, Kabul, Afeganistão (Getty Images)

Mulheres e donos dos parques de diversões lamentam a decisão ."Sem mulheres, as crianças não virão sozinhas"

O governo dos talibãs no Afeganistão proibiu as mulheres de frequentar as feiras e parques de diversões do país esta semana, de acordo com a AFP.

"Durante os últimos 15 meses, tentámos o nosso melhor para organizar e resolver a situação - e até especificámos os dias", disse à agência Mohammad Akif Sadeq Mohajir, porta-voz do Ministério para a Prevenção do Vício e Promoção da Virtude. “Ainda assim, em alguns lugares - de facto, devemos dizer que em muitos lugares - as regras foram violadas. Havia mistura [de homens e mulheres], o hijab não foi utilizado, por isso a decisão foi tomada por agora”, completou.

A decisão não foi bem recebida pelas mulheres em geral, bem como pelos donos das feiras. "Não há escolas, não há trabalho, devemos pelo menos ter um lugar para nos divertirmos. Estamos apenas aborrecidas e fartas de estar em casa o dia todo, a nossa cabeça está cansada", disse Wahida à AFP.

"Estávamos muito entusiasmadas, estamos cansadas de ficar em casa. Obviamente, no Islão, é permitido sair e visitar parques. Quando não se tem liberdade no próprio país, então o que significa viver aqui?”, afirmou Rashida, estudante universitária de 21 anos.

Por seu turno, Habib Jan Zazai, um dos construtores do Parque Zazai, em Kabul, admite ter de fechar o complexo, que emprega 250 pessoas e no qual investiu cerca de 11 milhões de euros.

"Sem mulheres, as crianças não virão sozinhas. Um governo é gerido com recurso a impostos. Se um investidor não está a pagar impostos, então como podem o governo funcionar?", questionou.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados