Talibãs proíbem que funcionários do governo façam a barba

Andreia Miranda , notícia atualizada às 12:29
28 mar 2022, 12:06
Talibãs desfilam com veículos norte-americanos no Afeganistão

Há ainda um código de indumentária a cumprir. Caso as regras não sejam cumpridas, os funcionários podem ser barrados à entrada dos escritórios do governo

O ministério da Moralidade Pública dos talibãs revistou, esta segunda-feira, todos os funcionários na entrada dos escritórios do governo para verificar se os funcionários adotaram a indumentária obrigatória e se deixaram a barba crescer, avança a Reuters, que cita três fontes no local.

Os representantes do ministério verificavam se os funcionários usavam as roupas tradicionais - que consistem numa blusa longa e folgada, calças e chapéu ou turbante - e foram instruídos a não fazer a barba.

De acordo com as mesmas fontes, os trabalhadores foram ainda informados que, a partir de agora, não poderão entrar nos escritórios e podem mesmo ser despedidos se os códigos de indumentária não forem cumpridos.

Contactado pela Reuters, o ministério não comentou a decisão.

Mulheres afegãs proibidas de viajar sozinhas de avião

Há também novas restrições para as mulheres afegãs, que estão agora impedidas de viajar sozinhas de avião. Segundo a AFP, que citam fontes das companhias aéreas no Afeganistão, segundo a nova ordem dos talibãs impedem as mulheres de viajarem sem o acompanhamento de um parente do sexo masculino.

Dois funcionários das companhias aéreas Ariana Afghan e Kam Air confirmaram que a decisão foi adotada após uma reunião, na quinta-feira, entre representantes dos talibãs, as duas companhias aéreas e as autoridades migratórias do aeroporto, segundo os dois funcionários.

Apesar do ministério dizer que não divulgou nenhuma diretriz para proibir as viagens de mulheres sozinhas em aviões, a medida foi confirmada numa carta enviada por um executivo da Ariana Afghan aos funcionários da companhia aérea, logo após a reunião com os talibãs.

"Nenhuma mulher pode viajar num voo local ou internacional sem um parente masculino", lê-se na carta.

A AFP avança ainda que duas agências de viagens contactadas confirmaram que já não estão a emitir passagens para mulheres que viajam sozinhas.

"Algumas mulheres que viajavam sem um parente do sexo masculino não conseguiram embarcar num voo da Kam Air na sexta-feira de Cabul para Islamabad", confirmou um passageiro.

Talibãs mantêm escolas secundárias encerradas a raparigas

Outra das interdições dos talibãs para as mulheres é o acesso ao ensino secundário, apesar da promessa do regime afegão de que as escolas voltariam a permitir o regresso das adolescentes às aulas.

“As escolas para as raparigas adolescentes entre o 7.º e 12.º anos (dos 12 aos 18 anos de idade) continuam fechadas”, afirmou à agência de notícias EFE o porta-voz adjunto do Governo dos talibãs, Inamullag Samangani, na quartda-feira, dia em que as escolas reabriram após as férias de Inverno.

Dezenas de milhares de raparigas deviam regressar ao ensino secundário, mais de sete meses depois do regime talibã ter subido ao poder e restringido os direitos das mulheres à educação e ao trabalho.

O Ministério da Educação afegão tinha anunciado o reinício das aulas para raparigas em várias províncias, incluindo em Cabul.

"Não estamos a reabrir escolas para agradar à comunidade internacional, nem para obter o reconhecimento do mundo", disse o porta-voz do Ministério Aziz Ahmad Rayan.

"Estamos a fazer isto como parte da nossa responsabilidade de proporcionar educação e instalações educativas para os nossos estudantes", acrescentou.

Em sete meses de governo, os talibãs impuseram várias restrições às mulheres, que se viram excluídas de muitos empregos públicos, controladas na forma de vestir e proibidas de viajar sozinhas para fora da cidade onde vivem.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Mais Lidas

Patrocinados