Líder da UNITA vai à missa e ora por êxito eleitoral, “tranquilidade” e respeito pelo voto

Agência Lusa , CF
21 ago, 21:30
Apoiantes UNITA (John Wessels/AFP)

Adalberto da Costa Júnior considerou ainda que a chegada a Luanda do corpo de José Eduardo dos Santos foi "uma novela muito feia"

O presidente da UNITA (oposição) assistiu este domingo à missa em Luanda, participando numa novena de oração pelo êxito das eleições gerais de quarta-feira, declarando-se convicto que vão decorrer em ambiente de tranquilidade e pedindo “respeito” pelo voto dos eleitores.

Adalberto da Costa Júnior participou este domingo, pelas 18:30 locais (mesma hora em Lisboa), numa missa celebrada na Igreja de São Domingos, destacando a importância da novena de oração que está a ser vivida nas comunidades paroquiais da Igreja angolana, por iniciativa dos bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), realizada em Luanda.

“A igreja católica, preocupada com os desafios da abordagem eleitoral, tomou esta iniciativa a nível nacional e quis participar”, disse o dirigente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) à Lusa, salientando não ter ido na sua qualidade de líder do maior partido da oposição angolano e candidato à Presidência da Republica nas eleições gerais marcadas para 24 de agosto.

“O facto de ter andado na estrada permanentemente [em campanha eleitoral] nunca me permitiu assistir em nenhuma das capitais em que passei, ou chegava tarde ou estava em audiências”, contou, afirmando que as mensagens são “boas” e servem para tranquilizar a população.

O presidente da UNITA lamentou não ter tido oportunidade de assistir ao culto ecuménico que decorreu também este domingo, por sobreposições de agenda, tendo o partido sido representado pelo deputado e secretário provincial, Nelito Ekuikui.

Quanto à campanha da UNITA, já na sua reta final, tem sido “extraordinária”, congratulou-se, ao contrário do que aconteceu com as instituições que garantem o processo eleitoral que, disse, têm sido “uma vergonha”.

Adalberto da Costa Júnior apontou, em particular, preocupações por, segundo afirmou, a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) “não estar a fazer aquilo que deve”.

E garantiu que a UNITA está a “fiscalizar de perto” o processo e não vai desistir desta fiscalização, apelando à “correção dos desvios”.

Apesar de tudo, o dirigente declarou esperar que as eleições decorram em ambiente de absoluta tranquilidade “e que o voto do cidadão seja respeitado”.

“As eleições são cíclicas, os mandatos têm limites e, portanto, a democracia só existe com alternância”, sublinhou, com recados ao atual Presidente da Republica, João Lourenço, e candidato a um segundo mandato pelo Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA).

“O governante do partido do regime em Angola tem de pensar que o poder não é uma vocação, não é uma herança do papá e da mamã e que a alternância vai acontecer mesmo”, vincou.

Chegada a Luanda do corpo de José Eduardo dos Santos foi "novela muito feia" 

Sobre a chegada a Luanda, este sábado, do corpo do antigo presidente José Eduardo dos Santos, cujo funeral poderá acontecer no dia 28 de agosto, considerou que “a novela foi muito feia” e apelou ao respeito pela família e a memória do falecido chefe de Estado, antes de se dirigir ao templo católico para assistir à liturgia, a partir da primeira fila.

Domingo foi o dia escolhido também para a celebração culto ecuménico que decorreu esta manhã no estádio 11 de novembro e foi convocado pelo Conselho das Igrejas Cristãs em Angola (CICA), Aliança Evangélica de Angola (AEA) e Fórum Cristão Angolano sob o lema “Orai pelas autoridades para que tenham  uma vida tranquila”, com vista a sensibilizar os eleitores angolanos para que as eleições decoram em ambiente de paz e tranquilidade.

Dirigentes de vários quadrantes políticos estiveram este domingo num culto ecuménico em prol das eleições, com o MPLA representado ao mais alto nível, pelo presidente do partido e candidato a um segundo mandato presidencial e a primeira-dama, bem como vários membros do seu governo e o presidente da Assembleia Nacional.

Na celebração compareceram também integrantes da UNITA, principal partido da oposição, e da CASA-CE, terceira força política, que convergiram numa mensagem positiva sobre o período eleitoral.

África

Mais África

Patrocinados