Faturas falsas, empregos fictícios, mães contratadas. Eis os “contratados” na rede de favores nas juntas de Lisboa

24 mai, 21:43

Faturas falsas, empregos fictícios, mães contratadas. Eis os “contratados” na rede de favores nas juntas de Lisboa

“Não me esqueço dos amigos”, afirmou Sérgio Azevedo em 2017. Não se esqueceu.

Esta é apenas uma das muitas escutas que constam da investigação Tutti Frutti, que a TVI e a CNN Portugal estão a revelar esta semana. Sérgio Azevedo, então deputado do PSD, é tratado pelo Ministério Público como central no esquema que envolveu favores, contratos, avenças, empregos. E que exigia manter o poder.

Quando José Eduardo Martins desafiou esse poder, candidatando-se como cabeça de lista do PSD à Assembleia Municipal nas eleições autárquicas, essa dominação foi posta em causa. “José Eduardo Martins vai ganhar e a nossa gente não vai poder lá ficar”, diz em outubro 2017 Nuno Firmo, que chegou a ser tesoureiro na junta de freguesia de Santo António. A resposta: “Assim vão foder-me”. José Eduardo Martins acabou por bater com a porta, depois de um “golpe palaciano” então noticiado que o afastou.

São estas as caras dos homens e mulheres que vivem da política e dos padrinhos, e que tem o social-democrata alegadamente no centro de redes de avenças e de pagamentos. Incluindo de pessoas “que só lá iam assinar o recibo, recebendo sem trabalhar”, como diz uma escuta. Carlos Eduardo Reis chega a dizer a Miguel Peixoto (ambos do PSD), a 29 outubro 2017: “Aquela bancada tem um gabinete onde há muitas assessorias e muitas avenças - Mafalda Cambeta, Patrícia Leitão e até o Rodrigo Moita de Deus que nunca fez nada.”

Quando ficou à frente da bancada do partido na assembleia municipal de lisboa, em 2013, Azevedo sentou de imediato amigos e serviu ordenados. Em menos de dois meses, três contratos assinados: Patrícia Leitão, Nuno Vitoriano e Filipa Lages. Todos militantes do partido social-democrata e com estreitas relações entre si. Pelo menos dois foram constituídos arguidos no processo ao lado do antigo deputado do PSD.

Veja a reportagem completa em vídeo na TVI e na CNN Portugal.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados