Após saída de Tiago Guedes, Rui Moreira afasta urgência em nomear nova direção para o Teatro Municipal do Porto. "Não temos essa vertigem"

Agência Lusa
20 mai, 16:27
Tiago Guedes, diretor do Teatro Municipal do Porto (Direitos reservados/ José Caldeira)

O presidente da Câmara do Porto acrescentou que a gestão do Teatro não será interrompida, porque "a temporada está programada" com uma equipa que garante a continuidade do processo até ser encontrada nova direção

O presidente da Câmara do Porto adiantou esta sexta-feira que não há uma “vertigem” para encontrar a nova direção do Teatro Municipal do Porto (TMP), depois da nomeação de Tiago Guedes para a Maison de la Danse de Lyon.

“Não preciso de nomear um diretor artístico amanhã. Temos, neste momento, uma equipa que permite garantir a continuidade deste processo durante tempo suficiente até que sejam encontradas uma, ou mais, direções artísticas”, afirmou Rui Moreira, numa conferência convocada sobre o assunto.

O autarca disse ainda que “não há uma interrupção” na gestão do TMP, que gere Rivoli e Teatro do Campo Alegre, porque “a temporada está programada, as coisas estão contratadas”.

“Não temos essa vertigem”, reiterou.

O autarca falava esta sexta-feira durante uma conferência de imprensa convocada para falar sobre a saída de Tiago Guedes da direção do TMP e o "futuro do Rivoli", em que esteve também presente o diretor artístico, que vai assumir a direção da Maison de la Danse de Lyon e a codireção da Bienal da Dança, em França.

Questionado sobre a continuidade do Festival Dias da Dança (DDD), que fundou, Tiago Guedes disse que “é um projeto que é desenvolvido no seio do TMP” e que “será visto na sua globalidade”, adiantando ainda que “metade” do festival do próximo ano já está programado.

Rui Moreira garantiu que irá “manter o festival DDD e continuará a ser organizado pelo TMP”.

Conforme já tinha sido avançado na quinta-feira, o diretor artístico do TMP confirmou que está de saída no final de junho e que iniciará as novas funções, a meio-tempo, a 1 de julho, assumindo o cargo em pleno a partir de 1 de setembro.

O bailarino e coreógrafo referiu ainda que, “neste momento, o TMP já colabora com a Maison de la Danse de Lyon, há muitos anos”, e que “essas colaborações, certamente, vão-se intensificar”.

“Poucos ou nenhuns seriam os projetos que me fariam querer sair do Porto, no entanto, defendo que os diretores artísticos de instituições não se devem eternizar nos seus cargos. Esta oportunidade e ‘timing’ pareceram-me ser os corretos para tentar novos desafios”, disse.

Tiago Guedes disse que sai com o “descanso de saber que é muito bom sair quando as coisas ainda estão muito bem”.

Rui Moreira adiantou que a ida da Tiago Guedes para França foi "uma estratégia conjunta" e que a sua seleção num concurso público internacional é um "reconhecimento" do trabalho feito nos oito anos à frente do TMP, tendo também deixado a garantia de que o município vai "continuar a trabalhar com o Tiago".

Tiago Guedes, que estava à frente do TMP desde 2014, sucede a Dominique Hervieu como diretor de La Maison de la Danse de Lyon e como codiretor da Biennale de La Danse.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados