Letras de Taylor Swift são literatura? Esta professora acha que sim e criou um curso. “Nunca recebi tantos e-mails de estudantes entusiasmados"

CNN Portugal , ARC
14 ago 2023, 20:35
Taylor Swift (AP Photo/George Walker IV)

Nos EUA, já existem alguns cursos em torno da cantora, tendo o primeiro surgido na Universidade de Nova Iorque no ano passado

Geoffrey Chaucer, Charlotte Brontë, William Shakespeare e agora Taylor Swift. Estes são alguns dos nomes que integram o catálogo de literatura inglesa na Universidade de Gante, na Bélgica. E sim, é mesmo a cantora norte-americana Taylor Swift. A partir do outono, estudar literatura vai ser sinónimo de estudar a obra da também compositora que move milhares e milhares de fãs.

Uma ideia algo inovadora na Europa, mas que já está a atrair uma série de estudantes belgas e não só. “Nunca recebi tantos e-mails de estudantes entusiasmados a perguntar se podem frequentar o curso”, disse a professora assistente e responsável pelo projeto Elly McCausland, acrescentando que o interesse se estende a não estudantes e pessoas exteriores à instituição.

Elly McCausland reconhece ser uma “Swiftie de longa data”, o que pode ter impulsionado a ideia para o curso, mas garante que não se resume a isso. As letras das canções de Taylor Swift, que vai atuar no Estádio da Luz em maio, são um misto de experiências pessoais e referências literárias, conta a professora, merecendo por isso um olhar mais profundo.

Por exemplo, em "The Great War", a cantora e compositora norte-americana reflete sobre a forma como Sylvia Path falava da guerra e das batalhas para transmitir dor no poema Daddy.

Já a música "Mad Woman" remete para o conto The Yellow Wallpaper da romancista Charlotte Perkins Gilman, ao contar uma história sobre o patriarcado e a saúde mental. 

“Porque é que ninguém está a falar sobre isto?”, questiona a professora assistente Elly McCausland. “Shakespeare, de alguma forma, está a abordar muitas das mesmas questões que Taylor Swift aborda hoje, o que parece uma loucura. Mas ele está.” 

Assim, o curso “Literatura: Versão Taylor”, que arranca no outono, visa ser um ponto de partida para explorar textos clássicos da literatura inglesa. “O que quero fazer é mostrar aos alunos que, apesar destes textos poderem parecer inacessíveis, podem ser acessíveis se os virmos de um ângulo ligeiramente diferente”, explica a responsável. 

"Quero que os alunos se apercebam de que os meios de comunicação que consomem diariamente, seja música, Netflix, podcast, TikTok ou o que for, quero que pensem nisso da mesma forma que podem pensar nos temas que estudam."

Para Elly McCausland, a iniciativa poderia estender-se ao trabalho de outros artistas.

A professora assistente da Universidade de Gante ressalva ainda que a base académica do curso se mantém e que o mesmo está feito para quem é fã e para quem não o é: "O foco principal é a literatura, mas também quero que pensemos criticamente sobre Swift. Não vou de maneira nenhuma reunir todos os Swifties e vamos passar três horas todas as segundas-feiras a fangirl."

Novidade na Europa, mas não tanto nos EUA. No país natal de Taylor Swift, já existem alguns cursos em torno da cantora, tendo o primeiro surgido em 2022 na Universidade de Nova Iorque com aulas direcionadas para estudar o que atrai as pessoas à cantora e o que as afasta.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados