“Gostaríamos de congratular a administração da TAP”. Pilotos reagem com ironia à frota de BMW (e pedem mudanças nos salários)

5 out, 19:16
Manifestação de pilotos da TAP em Lisboa (Lusa/António Pedro Santos)

Pilotos falam numa “nova atitude perante os gastos”, que querem ver replicada na reposição dos salários. Caso contrário, dizem, é sinal de que não há margem financeira e que os carros de luxo foram pagos “com os cortes nos salários dos trabalhadores”

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) reagiu à encomenda de dezenas de carros BMW pela TAP para as suas principais chefias, uma notícia avançada pela TVI, CNN Portugal e Away (órgãos de comunicação do grupo Media Capital). Perante a compra, estes profissionais insistem que está na altura de reverter os cortes salariais.

Com ironia, os pilotos destacam que “o estado financeiro da TAP está tão saudável que permite a renovação da frota automóvel da administração, num total de 79 viaturas ascendendo a um valor próximo dos 4 milhões de euros”.

“Gostaríamos de congratular a administração da TAP pela gestão que permitiu esta rápida mudança de paradigma”, completa o SPAC em comunicado.

Recordando que a compra de viaturas tem “como fundamento uma miraculosa poupança”, o sindicato sugere que a administração da TAP siga a “mesma lógica de ‘gastar mais, para poupar’” na reposição dos salários.

“Enquanto uns têm cortes brutais nos seus vencimentos, quando ainda há processos de despedimento em curso e quando se condiciona a qualidade de vida a outros, em simultâneo, renova-se o parque automóvel dos cargos de direção”, argumentam os pilotos.

A estrutura sindical insiste que “esta nova atitude perante os gastos” terá de “abranger os pilotos na reposição das condições laborais”. Se tal não acontecer essa mudança nos salários, insistem, é sinal de que a empresa não quer aplicar o “excedente financeiro” na reposição das condições dos trabalhadores ou que, não existindo esse excedente, a frota “foi paga com os cortes nos salários dos trabalhadores”.

 A TAP encomendou dezenas de BMW para as suas principais chefias, melhorando o perfil da sua atual frota automóvel, constituída sobretudo por Peugeot. Os novos veículos têm um valor de mercado a partir dos 52 e dos 65 mil euros, são plug-in híbridos e começarão a chegar no início do próximo ano.

Em causa está uma encomenda inicial de 79 veículos, das séries 5, X3 e X2 da marca alemã. A TAP, confrontada, garante que são apenas 50 veículos. O número real não é indiferente: se forem 79, a TAP não só melhora a sua frota como a aumenta.

A Comissão Executiva da TAP garante que a nova frota automóvel, constituída por BMW, vai permitir poupar em relação a cenários alternativos. Num email interno, a empresa divulga que vai pagar cerca de 500 euros de renda mensal por cada automóvel, ou seja, cerca de seis mil euros por ano.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados