Taiwan diz que envio de balões por Pequim é "ameaça séria" a tráfego aéreo

Agência Lusa , MJC
6 jan, 08:42
Pentágono aumenta financiamento a projeto de balões de grande altitude que pode ser resposta eficaz contra mísseis hipersónicos (Imagem AP)

Os avistamentos de balões de reconhecimento chineses em Taiwan começaram no mês passado

 O Ministério da Defesa de Taiwan disse este sábado que o envio de balões por Pequim para a linha mediana que separa a ilha da China continental, é uma "ameaça séria" às ligações aéreas e uma forma de assédio.

Pequim, que considera Taiwan parte integrante de território chinês, intensificou nos últimos anos a pressão militar e política, enviando um número sem precedentes de caças e navios de guerra para a ilha.

Os avistamentos de balões de reconhecimento chineses em Taiwan começaram no mês passado.

"Devido à sua recente trajetória, [os balões] representam uma ameaça séria à segurança de muitas rotas aéreas internacionais", afirmou em comunicado o Ministério da Defesa, condenando o "desrespeito da China pela segurança aérea".

O ministério publicou hoje também uma ilustração que revela dois balões chineses a cruzarem, na sexta-feira, a linha mediana.

"O principal objetivo da recente deteção de balões é um assédio do [tipo] 'zona cinzenta', com o objetivo de usar a guerra cognitiva para afetar o moral do nosso povo", lê-se ainda no comunicado.

"Zona cinzenta" é um termo usado por especialistas militares para descreverem ações agressivas patrocinadas por um Estado, que se abstém de uma guerra aberta.

"Apelamos ao fim imediato desta prática, a fim de garantir a segurança dos voos na região", afirmou o ministério.

A declaração surge quando falta apenas uma semana para as eleições presidenciais taiwanesas, que vão ditar o futuro das relações entre a ilha e Pequim.

Desde a eleição da Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, em 2016, a China cortou todas as comunicações de alto nível com o Governo de Taipé, uma v

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados