Taça da Liga: FC Porto-Vizela, 4-0 (crónica)

Vítor Maia , Estádio do Dragão, Porto
16 dez 2022, 22:40

Goleada para os quartos

Começar bem é sempre bom prenúncio para acabar bem.

O FC Porto seguiu ditado à regra e goleou o Vizela por 4-0 depois de ter aberto o marcador aos 46 segundos (!). Pese o golpe madrugador, os minhotos ainda deram boa réplica na primeira parte até ruírem, qual baralho de cartas, aos três minutos da etapa complementar.

Os campeões nacionais vão discutir com o Gil Vicente a presença na final four da Taça da Liga, já na próxima quinta-feira.

Sérgio Conceição repetiu a equipa que venceu em Chaves na segunda jornada enquanto Tulipa lançou no onze Ivanildo, Schmidt e Kiko Bondoso para os lugares de Anderson, Samu e Etim. No entanto, nem houve tempo para perceber qual o plano traçado pelo sucessor de Álvaro Pacheco uma vez que, um erro de Buntic, permitiu a Toni Martínez fazer o 1-0 aos 46 (!) segundos.

Os minhotos viram-se obrigados a correr mais riscos e a jogar mais subidos. Reagiram bem à primeira grande adversidade, é um facto, e chegaram a ter um ou outro bom momento de futebol no Dragão. Podiam, inclusive, ter igualado a contenda, não fosse uma perdida incrível de Schmidt.

A grande oportunidade do Vizela funcionou como despertador para os portistas. Num ápice, Toni Martínez esteve perto de marcar em duas ocasiões enquanto Galeno assustou com um pontapé à malha lateral. Em cima do intervalo, Igor Julião ‘tirou’ um golo a Fábio Cardoso.

Com 1-0 no marcador estava, por isso, tudo em aberto para a segunda parte. Porém, Sérgio Conceição lançou três trunfos – Otávio, Evanilson e Taremi - e a partida ficou desequilibrada rapidamente. Aos 48 minutos, Grujic descobriu Galeno no meio de homens de preto e o extremo, mais rápido que a concorrência, só parou quando bateu Buntic.

Com o adversário ferido, o Dragão banqueteou-se. Volvidos dez minutos, Wendell deu a estocada final no Vizela com um pontapé de fora da área após um livre saído do laboratório do Olival. O FC Porto jogava como ainda não tinha jogada até então e chegou facilmente ao 4-0. Evanilson foi travado em falta na área após um passe mágico de Otávio e Taremi, chamado a marcar, não desperdiçou.

O FC Porto baixou o ritmo, geriu a vantagem e talvez por isso, não tenha vencido por números ainda mais expressivos. É justo reconhecer que o Vizela ainda tentou atenuar o resultado, mas não foi capaz de superar a muralha portista.

 

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados