Há um português entre os mais influentes na Europa, segundo a Politico

ECO - Parceiro CNN Portugal , Joana Nabais Ferreira
14 dez 2022, 16:08
Carlos Tavares, CEO da Stellantis. (Fabio Ferrari/LaPresse via AP)

O título de pessoa mais poderosa da Europa foi entregue a Volodymyr Zelensky. Mas Vladimir Putin também faz parte da lista, na categoria de "os sonhadores"

Carlos Tavares é o único português entre as personalidades destacadas no ranking anual do Politico como as mais influente na Europa. O CEO da Stellantis assume o sexto de nove lugares na categoria de disruptivos. O ranking avalia ainda outras duas categorias: os fazedores e os sonhadores. Já o título de pessoa mais poderosa da Europa foi entregue a Volodymyr Zelensky.

“O futuro do automóvel é elétrico? A resposta será decidida em parte por Carlos Tavares, o CEO da Stellantis, o sexto maior fabricante de automóveis do mundo, criado no ano passado pela fusão da Fiat Chrysler e do Grupo PSA, que detém marcas como a Peugeot e a Citroën”, lê-se na publicação.

O gestor está no centro do debate do futuro da mobilidade descarbonizada, tendo já alertado para os riscos que a transição representa para os empregos europeus, bem como para a pegada de carbono do fabrico de baterias. “O que é claro é que a eletrificação é uma tecnologia escolhida pelos políticos, não pela indústria”, dizia no início deste ano.

Lançou ainda um “Fórum da Liberdade de Mobilidade” para debater o futuro da mobilidade descarbonizada, previsto para o início do próximo ano. Espera-se que a iniciativa dê algumas pistas sobre a vontade e capacidade da Europa para dar o próximo passo no sentido de mudar a forma como as pessoas se deslocam.

Na categoria da qual o português faz parte — “os disruptivos” — o pódio pertence a Giorgia Meloni, a nova primeira-ministra italiana, Viktor Orbán, primeiro-ministro da Hungria, e Keir Starmer, político britânico que atualmente serve como líder do Partido Trabalhista.

Zelensky e Putin em destaque

Já o título de pessoa mais poderosa da Europa foi entregue a Volodymyr Zelensky. “A Europa está a mudar. (…) Está a repensar o que significa ser europeu, e isso deve-se, em grande parte, ao facto de o comediante ucraniano se ter tornado presidente”, pode ler-se.

“Esta não é a primeira vez que a Ucrânia é atacada pela Rússia. (…) A razão pela qual as coisas são diferentes desta vez é por causa de Volodymyr Zelensky.”

Já na categoria dos “sonhadores”, encabeçada por Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, Vladimir Putin assume a nona posição, ainda que com o nickname “The loser”, “O perdedor” (na tradução portuguesa).

“É pouco provável que o sonho de Vladimir Putin de uma Rússia maior seja realizado. O seu ataque total à Ucrânia começou a desmoronar-se quase tão rapidamente como começou”, justifica o Politico. Mas acrescenta: “A incapacidade de Putin de realizar o seu sonho não significa que ele não continuará a ser um pesadelo para os seus vizinhos.”

Veja aqui o ranking completo.

Relacionados

Líderes

Mais Líderes

Patrocinados