Sociedade de Pediatria diz que pais devem aconselhar-se com médicos sobre vacinas

Agência Lusa , BCE
18 dez 2021, 23:44
Vacinação de crianças contra a covid-19 (Manuel Fernando Araújo/Lusa)
Vacinação de crianças contra a covid-19 (Manuel Fernando Araújo/Lusa)

A entidade pede aos pais que não tirem conclusões sobre a vacinação das crianças dos cinco aos 11 anos através das redes sociais, mas sim junto aos profissionais de saúde

PUB

A Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP) salienta que as vacinas contra a covid-19 são eficazes e seguras e recomenda aos pais que se aconselhem junto de profissionais de saúde e não através das redes sociais.

Numa nota, a SPP recorda que “a vacinação dos 5 aos 11 anos foi avaliada e recomendada pela Comissão Técnica de Vacinação Contra a Covid-19 da Direção-Geral da Saúde (DGS), tendo sido ouvida a opinião de peritos em diversas áreas relevantes para a tomada de decisão”, com muita experiência “na análise dos riscos e benefícios de vacinas e, por esse motivo, fontes de informação muito mais fiáveis”.

PUB

Num texto que lembra que os “profissionais de saúde são as pessoas que poderão ajudar melhor a esclarecer as suas dúvidas”, a direção da SPP reconhece ser “natural que os pais tenham dúvidas sobre se devem ou não administrar a vacina aos seus filhos, dado tratar-se de uma vacina recente e, sobretudo, pelos comentários, maioritariamente desapropriados, que circulam nas redes sociais”.

Apesar de ser habitualmente assintomática nesta faixa etária, a SPP frisou que “as crianças têm sido fortemente prejudicadas na pandemia devido aos confinamentos sucessivos que afetam seriamente a sua aprendizagem e saúde mental e aumentam o risco de pobreza e de maus-tratos”.

PUB
PUB
PUB

Por isso, “espera que a vacinação das crianças deste grupo etário se associe a diminuição do risco da doença e das suas complicações e que as crianças vacinadas possam ser consideradas como contactos de baixo risco, na presença de um caso positivo na comunidade escolar, contribuindo assim para a redução significativa do impacto na saúde mental e educacional destas crianças, cujos efeitos a longo prazo serão certamente muito negativos”.

A SPP referiu, ainda, que “atualmente já receberam a primeira dose de vacina mais de cinco milhões de crianças na faixa etária dos 5 aos 11 anos em todo o mundo e não foram reportados efeitos adversos graves”, com os reguladores internacionais a manterem a vigilância sobre eventuais efeitos raros que possam surgir.

Este sábado, cerca de 77 mil crianças de 9, 10 e 11 anos começaram a ser vacinadas em Portugal contra a covid-19, um processo que se prolonga pelo fim de semana, com os centros reservados apenas para esta faixa etária.

Este fim de semana é o primeiro período destinado a vacinar os menores entre os 5 e os 11 anos, com o Governo a estimar que as segundas doses da vacina pediátrica da Pfizer sejam administradas entre 5 de fevereiro e 13 de março do próximo ano.

PUB
PUB
PUB

As crianças com comorbilidades terão prioridade para serem vacinadas, independentemente da idade, desde que tenham prescrição médica, bastando que se se dirijam aos centros para receberem a vacina contra o SARS-CoV-2.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados