Os deputados da Rússia estão contra "propaganda LGBT" e não querem que os russos usem iPhone mas veja este vídeo do famoso Lavrov

14 nov, 17:16
Sergei Lavrov (Twitter)

Num vídeo que visto em silêncio parece uma publicidade a produtos ocidentais, o MNE russo diz que está bem de saúde e critica... o Ocidente

Equipado de um iPhone Pro, com um relógio no pulso que a Al Jazeera diz ser um Apple Watch e vestido com uma t-shirt alusiva a Basquiat (um famoso artista norte-americano negro conhecido por defender a liberdade sexual), o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia gravou esta segunda-feira um vídeo para dizer ao mundo que está bem depois de alegadamente ter sido levado para o hospital na chegada a Bali, onde decorre a cimeira do G20.

A informação da hospitalização de Sergei Lavrov foi avançada pela agência Associated Press, que cita autoridades indonésias, mas a Rússia prontificou-se a negar o cenário, com a porta-voz daquele Ministério, Maria Zakharova, a classificar como falsa  informação de que o governante teria sido assistido a um problema cardíaco. Para isso, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo partilhou um vídeo do ministro sobre as "notícias falsas propagadas pelos meios de comunicação ocidentais".

Sergei Lavrov, de 72 anos, aparece descontraído na parte exterior de uma casa, falando com um ar informal, ao mesmo tempo que apresenta aparelhos como um iPhone ou um relógio inteligente, que o canal de televisão AlJazeera diz ser um Apple Watch.

Juntando um visual com o nome "Basquiat", o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, um dos homens mais próximos de Vladimir Putin, parece adotar uma vida totalmente ocidental, numa altura em que as relações entre Moscovo e o mundo ocidental estão num ponto extremado.

Quanto às declarações do vídeo, Sergei Lavrov sugere que a comunicação social do Ocidente utiliza a mesma tática com Vladimir Putin: "Dizem que o nosso presidente está doente há cerca de 10 anos. É um jogo que não é novo na política".

Em respostas a perguntas da própria Maria Zakharova, o governante "deseja que os jornalistas do Ocidente sejam mais honestos e que escrevam mais vezes a verdade". Dirigindo-se depois à população russa, a quem este vídeo deve tranquilizar, Sergei Lavrov agradeceu todo o apoio.

Refira-se que os deputados da Rússia aprovaram recentemente uma lei que endurece a repressão sobre a comunidade LGBT e já tinham pedido para a população deixar de usar iPhones e Android.

Foi o caso da conhecida deputada Maria Butina, que pediu aos cidadãos russos que deixassem de utilizar tecnologias ocidentais. Num vídeo partilhado nas suas redes sociais, a parlamentar, que serviu como agente russa nos Estados Unidos durante vários anos, insta a população a adotar o AYYA T1, um modelo de telemóvel produzido na Rússia.

Esse mesmo vídeo foi partilhado pouco depois de a Apple ter anunciado a sua saída da Rússia, na sequência da guerra na Ucrânia.

Europa

Mais Europa

Patrocinados