Morreu a cantora Sara Tavares

CNN Portugal , com LUSA, atualizado às 6:14 de 20 de novembro
19 nov 2023, 21:04

Estarás sempre connosco Sara

Obrigado

Até sempre

Cantora e compositora lutava há mais de dez anos contra um tumor cerebral

A cantora Sara Tavares morreu este domingo, vítima de tumor cerebral, avançou a SIC Notícias e confirmou a CNN Portugal. Tinha 45 anos.

Sara Tavares, que foi diagnosticada com um tumor cerebral há mais de dez anos, estava interna na Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital da Luz, em Lisboa.

O primeiro álbum da cantora e compositora de ascendência cabo-verdiana, “Sara Tavares & Shout!”, foi editado em 1996, dois anos depois de vencer o Festival da Canção da RTP com o tema "Chamar a Música" e que representou Portugal na Eurovisão, tendo ficado em oitavo lugar.

Desde então, editou vários álbuns que a aproximaram das raízes cabo-verdianas, com destaque para “Balancê” (2005), que lhe valeu um disco de platina e uma nomeação como Artista Revelação as prémios BBC Radio 3 World Music.

Em 2011, recebeu Prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards e no ano seguinte deu continuidade à digressão internacional “Xinti”, título do álbum editado em 2009, que lhe valeu o Prémio Carreira do África Festival na Alemanha.

Em 2018 esteve nomeada para os Grammy Latino com o quinto álbum, "Fitxadu" (2017), no qual aprofundou a relação com a música cabo-verdiana, contando com Manecas Costa, Nancy Vieira, Toty Sa'Med e Kalaf Epalanga entre os convidados.

A par da carreira em nome próprio, Sara Tavares colaborou com vários nomes da música portuguesa e lusófona, nomeadamente Ala dos Namorados, Dany Silva, Paulo Flores, Buraka Som Sistema e Carlão.

Há dois meses um novo single, KURTIDU.

Da música à política, as reações à morte de Sara Tavares

Nas redes sociais multiplicam-se as reações à morte da cantora, desde artistas de música a figuras da política, entre elas o Presidente da República. 

Numa nota divulgada no site da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa recorda a "vocação, dedicação e determinação" de Sara Tavares.

"Descobrimos Sara Tavares há 30 anos, ainda adolescente, através de um dos concursos de talentos que, nas décadas seguintes, revelariam vários nomes que hoje conhecemos e admiramos. Portuguesa de origem cabo-verdiana, manteve sempre forte ligação aos seus pares, em diversas colaborações e homenagens, e grande proximidade à música e aos músicos africanos", recorda Marcelo Rebelo de Sousa, citado na nota.

"Além dos discos que gravou desde 1996, representou Portugal no Festival da Eurovisão e foi nomeada para um Grammy Latino. Tendo interrompido a carreira por motivos de saúde, lançou um novo álbum em 2017 e, já este ano, editou um último single. À família de Sara Tavares manifesto a minha tristeza e o reconhecimento pela sua vocação, dedicação e determinação", acrescenta.

Também o presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, reagiu à morte da cantora. Na rede social X, antigo Twitter, escreve que "sem a sua voz, ficamos mais pobres, mais tristes".

Já o primeiro-ministro António Costa lamentou a morte prematura de Sara Tavares, considerando que se revelou uma cantora e compositora com uma linguagem musical própria, na qual se cruzam diferentes geografias.

“Lamento com profunda tristeza a morte prematura de Sara Tavares. A sua estreia, ainda muito jovem, num concurso de talentos, cativa os portugueses, tendo-se revelado uma cantora e compositora com uma linguagem musical própria, na qual se cruzam diferentes geografias sonoras” escreveu António Costa na rede social X (antigo Twitter).

Para o primeiro-ministro, Sara Tavares “será sempre lembrada pela sua voz única e pelo seu sorriso”.

O presidente de Cabo Verde, José Maria Neves, também reagiu, afirmando que a figura de Sara Tavares continuará presente, “como luz que alumia caminho”.

“Continuarás connosco, Sara, dizendo coisas bonitas! A tua luz alumiar-nos-á o caminho que ainda nos cabe, nesta terra que transitoriamente nos acolhe”, escreveu o chefe de Estado, na página pessoal da rede social Facebook, despedindo-se com um “até sempre, cara amiga”.

Ainda entre as vozes da política, Rui Tavares, deputado único do Livre, lamentou a "perda de uma artista talentosa, gente boa e cidadã atenta". "Que pena partir tão cedo a Sara Tavares", escreveu, numa publicação divulgada na rede social X.

Também a ex-eurodeputada socialista Ana Gomes reagiu na mesma rede social, agradecendo à "Rainha".

No mundo artístico, o grupo musical Ala dos Namorados, que contou com a colaboração de Sara Tavares na célebre música 'Solta-se o Beijo', fez uma publicação no Instagram com uma breve homenagem à cantora. "Estarás sempre connosco Sara. Obrigado. Até Sempre", pode ler-se na descrição.

A apresentadora Catarina Furtado também já reagiu através de uma publicação na sua conta oficial do Instagram, onde diz não ter palavras, "só memórias".

 

Música

Mais Música

Mais Lidas

Patrocinados