Putin classifica Estados Unidos e NATO como as maiores ameaças à Rússia

31 jul, 17:49
Vladimir Putin assina nova doutrina naval da Rússia em São Petersburgo (AP/Kremlin)

Presidente russo assinou nova doutrina naval no Dia da Marinha. Documento menciona possibilidade de recurso ao poderio militar para resolver diferendos

Vladimir Putin assinou este domingo uma nova doutrina naval que classifica os Estados Unidos e a NATO como as maiores ameaças para a Rússia.

De acordo com o documento, “a política estratégica dos Estados Unidos para dominar os oceanos”, bem como a expansão das fronteiras da NATO, que cada vez mais se aproximam da Rússia, são as maiores ameaças para Moscovo.

A nova doutrina, de 55 páginas, elenca também vários objetivos estratégicos enquanto “grande potência marítima” cujas ambições se estendem a todo o mundo, e refere ainda a possibilidade de a Rússia recorrer ao seu poderio militar para resolver conflitos relativos aos oceanos caso as ferramentas de soft power, como a diplomacia e a economia, se esgotem.

A Rússia pretende também estabelecer várias parcerias estratégicas e alianças navais com países asiáticos, nomeadamente a Índia, Iraque, Irão e Arábia Saudita.

"Guiada por esta doutrina, a Federação Russa defenderá com firmeza e determinação os seus interesses nacionais nos oceanos mundiais, e dispor de poder marítimo suficiente garantirá a sua segurança e proteção”, pode ler-se no documento, citado pela Reuters.

O presidente russo esteve em São Petersburgo a celebrar o Dia da Marinha, onde teceu rasgados elogios ao fundador da cidade, o czar Pedro, O Grande, por ter tornado a Rússia numa “grande potência marítima” e reforçado a posição do país no contexto mundial. No seu discurso, contudo, não houve nenhuma referência à guerra na Ucrânia.

Europa

Mais Europa

Patrocinados