Hackers da Coreia do Norte roubaram quase 400 milhões de dólares em criptomoedas

CNN , Jennifer Korn
31 jan, 09:00
Hackers.

Em 2021, piratas informáticos norte-coreanos roubaram quase 400 milhões de dólares em moedas digitais, sendo um dos anos mais lucrativos até à data para os cibercriminosos desse país tão fortemente isolado, segundo um novo relatório.

Os piratas informáticos lançaram pelo menos sete ataques distintos no ano passado, direcionados sobretudo a sociedades de investimento e bolsas centralizadas com uma diversidade de táticas, incluindo phishing, malware e engenharia social, de acordo com o relatório da Chainalysis, uma empresa que acompanha as moedas digitais. Os cibercriminosos trabalharam para ganharem acesso às carteiras “quentes” das organizações – carteiras digitais ligadas à internet – e depois transferiram os fundos para contas controladas pela RPDC.

Os roubos são a mais recente indicação de que aquele país fortemente sancionado continua a depender de uma rede de piratas informáticos para ajudar a financiar os programas nacionais. Anteriormente, um relatório confidencial das Nações Unidas acusou o regime do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, de realizar “operações contra instituições financeiras e casas de câmbio virtuais” para pagar armas e manter a economia norte-coreana em funcionamento.

Em fevereiro passado, o Departamento da Justiça dos EUA acusou três norte-coreanos por conspirarem para roubar mais de 1300 milhões de dólares a bancos e empresas de todo o mundo e por planearem roubos digitais de criptomoedas.

A Coreia do Norte está, na maioria dos casos, isolada do sistema financeiro global devido a uma longa campanha de sanções dos EUA e parceiros estrangeiros”, disse Nick Carlsen, analista da TRM Labs, uma empresa de informações sobre blockchain. “Em resultado disso, eles partiram para o campo de batalha digital para roubarem criptomoedas com aquilo que, fundamentalmente, é o assalto a um banco à velocidade da internet, para financiar programas de armamento, a proliferação nuclear e outras atividades desestabilizadoras.”

Os esforços de pirataria informática da Coreia do Norte têm beneficiado com o aumento do valor das moedas digitais. O aumento do preço destas moedas e da sua utilização tem tornado os ativos digitais cada vez mais interessantes para os criminosos, levando a golpes digitais mais impactantes em 2021.

Segundo a Chainalysis, a maioria dos roubos do ano passado foi levada a cabo pelo Lazarus Group, um grupo de piratas com ligações à Coreia do Norte que anteriormente foi ligado ao ataque à Sony Pictures, entre outros incidentes. O grupo foi alvo de sanções pelos EUA.

Há pouco que os Estados Unidos ou outros países possam fazer na prática para combater as atividades de pirataria com moedas digitais da Coreia do Norte, a não ser impor sanções e medidas defensivas de cibersegurança, uma vez que os criminosos não enfrentam um perigo real de serem extraditados.

Com o aumento da popularidade do mercado das criptomoedas, “é provável que vejamos a continuação do interesse da Coreia do Norte em atacar empresas da área das criptomoedas que sejam jovens e estejam a criar defesas e controlos contra a lavagem de dinheiro”, disse Carlsen.

Relacionados

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados