Artem Severiukhin, o jovem piloto russo que celebrou em Portugal com uma saudação nazi e acabou despedido

12 abr, 09:51
Artem Severiukhin (D.R.)

FIA abriu investigação ao incidente. O atleta de 15 anos garante que o festejo em Portimão não teve qualquer propósito nazi ou fascista

O mundo do desporto, e não só, reagiu com perplexidade quando Artem Severiukhin, um jovem russo de 15 anos que conquistou o primeiro lugar no escalão 11-15 do Campeonato Europeu de Karting da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), que decorreu este fim de semana em Portimão, no Algarve, fez uma saudação nazi no momento em que subiu ao pódio.

Após o triunfo no Kartódromo Internacional do Algarve, o jovem, que corre com a bandeira italiana, subiu ao pódio e, enquanto ouvia o hino italiano, o "Il Canto degli Italiani", fez uma saudação nazi, soltando uma gargalhada de seguida. O vídeo do momento tem sido divulgado por vários utilizadores das redes sociais.

Na segunda-feira, a FIA abriu uma investigação ao ato do piloto, classificando a sua conduta como “inaceitável”.

"A FIA confirma ter lançado uma investigação imediata sobre a conduta inaceitável do Sr. Artem Severiukhin que ocorreu durante a cerimónia do pódio para a categoria OK na primeira ronda do Campeonato Europeu de Karting da FIA de 2022 no Kartódromo Internacional do Algarve, em Portugal", pode ler-se em comunicado divulgado esta segunda-feira.

A Ward Racing, equipa do piloto russo, não esperou pela conclusão da investigação da FIA à saudação fascista em Portimão para tomar medidas severas, tendo anunciado a rescisão imediata do contrato do piloto.

Em comunicado, a equipa sueca afirma-se "profundamente envergonhada" com o comportamento do piloto e que o mesmo constituiu uma manifestação de comportamento antidesportivo e uma violação dos códigos morais e de ética do desporto, razões pelas quais não vê ser possível continuar a parceria com o jovem de 15 anos.

Num vídeo publicado no Instagram, Artem Severiukhin negou que o festejo tivesse qualquer propósito nazi ou fascista.

“Quando estava no pódio fiz um gesto que muitos entenderam como uma saudação nazi. Isso não é verdade. Nunca apoiei o nazismo e considero-o um dos piores crimes da história da humanidade”, disse o jovem de 15 anos.

“Estou pronto para ser penalizado. Mas, por favor, acreditem que não houve intenção da minha parte em apoiar o nazismo ou o fascismo”, acrescentou.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Desporto

Mais Desporto

Patrocinados