Os 10 quadros mais famosos do mundo

CNN , Forrest Brown
22 nov, 09:09

PUB

Todos os anos, arte no valor de milhares de milhões de dólares passa pelas casas internacionais de leilões, enquanto os principais museus acolhem dezenas de milhares – até centenas de milhares – de obras de arte nas suas coleções. Mas poucas atingem a fama necessária para serem consideradas emblemáticas.

Como "famosa" é um termo subjetivo, a CNN Style recorreu ao Google para ver que pinturas foram mais pesquisadas no mundo inteiro, nos últimos cinco anos.

PUB

Comparámos dezenas de obras-primas populares – desde clássicos como a "Mona Lisa," "A Grande Onda de Kanagawa" e "Salvator Mundi", a obras mais modernas como "Falcões da Noite" e até a série "Cães a Jogar Póquer".

Com base nesses resultados, eis os 10 quadros mais pesquisados no mundo:

1. Mona Lisa

Se tinham dúvidas acerca da enorme popularidade da "Mona Lisa", as multidões no Louvre irão convencer-vos. Créditos: Eric Feferberg/AFP/Getty Images

Artista: Leonardo da Vinci

Data estimada: 1503 a 1519

Onde ver: Museu do Louvre (Paris)

Não devia ser surpresa de que o quadro mais famoso do mundo seja a mulher misteriosa com o sorriso enigmático. Mas essa é uma das poucas certezas sobre esta obra de arte.

PUB
PUB
PUB

Pensa-se que o modelo na pintura seja Lisa Gherardini, mulher do mercador de Florença Francesco del Giocondo, mas os peritos não têm a certeza. Representou uma inovação na arte – a pintura é o retrato italiano mais antigo a mostrar o modelo tão de perto, num retrato de meio-corpo, segundo o Louvre, onde foi inicialmente instalado em 1804.

Sabia que...? Antes do século XX, os historiadores diziam que a "Mona Lisa" era pouco conhecida fora dos círculos artísticos. Mas, em 1911, um antigo funcionário do Louvre roubou o quadro e escondeu-o durante dois anos. Esse roubo ajudou a cimentar o lugar da pintura na cultura popular, desde então, e deu a conhecer a arte renascentista a milhões de pessoas.

2. A Última Ceia

Visitantes tiram fotos de "A Última Ceia" ("Il Cenacolo ou L'Ultima Cena") no Convento de Santa Maria delle Grazie em Milão, Itália.
Foto: Miguel Medina/AFP/Getty Images

Artista: Leonardo da Vinci

Data estimada: 1495 to 1498

Onde ver: Santa Maria delle Grazie (Milão, Itália)

Leonardo, o "homem da Renascença" original, é o único artista a figurar duas vezes nesta lista.

PUB
PUB
PUB

Pintado numa era em que as imagens religiosas ainda eram um tema artístico dominante, "A Última Ceia" representa a última vez que Jesus partilhou a mesa com os discípulos antes da crucificação.

Esta pintura é, na verdade, um fresco enorme – 4,6 metros de altura e 8,8 metros de comprimento, o que faz dela uma visão memorável.

Sabia que...? O fresco sobreviveu a duas ameaças em tempos de guerra – As tropas de Napoleão utilizaram a parede do refeitório onde o fresco estava pintado para praticar tiro ao alvo. Também ficou exposto ao ar durante vários anos, quando, durante a Segunda Guerra, um bombardeamento destruiu o telhado do convento dominicano de Santa Maria delle Grazie, em Milão.

3. A Noite Estrelada

Turistas contemplam "A Noite Estrelada" de Vincent Van Gogh no Museum of Modern Art em Nova Iorque. Foto: Victor Fraile Rodriguez/Corbis/Getty Images

Artista: Vincent van Gogh

Data: 1889

Onde ver: Museum of Modern Art (Nova Iorque)

Os quadros comparativamente abstratos são os exemplos emblemáticos da utilização inovadora e ousada de pinceladas espessas de Van Gogh. Os fascinantes azuis e amarelos e a atmosfera sonhadora e giratória do quadro intrigam os amantes de arte há décadas.

PUB
PUB
PUB

Sabia que...? Van Gogh vivia num asilo em Saint-Rémy, França, a ser tratado por doença mental, quando pintou "A Noite Estrelada". Inspirou-se na vista da janela do seu quarto.

4. O Grito

"O Grito" de Edvard Munch instalado numa exposição especial no Museu de Arte Metropolitana de Tóquio. Foto: The Asahi Shimbun/Getty Images

Artista: Edvard Munch

Data: 1893

Onde ver: Museu Nacional (Oslo, Noruega) e Museu Munch (Oslo)

Antes de mais, "O Grito" não é uma obra de arte única. Segundo um blog do Museu Britânico, há duas pinturas, duas obras em pastel e também um número não especificado de impressões. As pinturas residem no Museu Nacional e no Museu Munch e, em 2012, um das obras em pastel foi vendida por quase 120 milhões de dólares em leilão.
À semelhança do caso da "Mona Lisa", os furtos ousados (1994 e 2004) das duas versões de pintura de "O Grito" ajudaram a aumentar o reconhecimento do público sobre as obras de arte. (Ambas acabaram por ser encontradas)

Sabia que...? A figura andrógina em primeiro plano na pintura de estilo Art Nouveau não está a produzir um grito mas sim a tentar bloquear um grito estridente que vem da natureza. Foi inspirado por uma experiência real que Munch teve enquanto passeava por Oslo, ao pôr-do-sol, quando um tom vermelho intenso lhe sobrecarregou os sentidos.

PUB
PUB
PUB

5. Guernica

Imagem de "Guernica" de Pablo Picasso no Museu Rainha Sofia em Madrid, Espanha. Foto: Denis Doyle/Getty Images

Artista: Pablo Picasso

Data: 1937

Onde ver: Museu Rainha Sofia (Madrid)

Este é o quadro mais recente da lista e representa o bombardeamento aéreo alemão à cidade de Guernica na região Basca durante Guerra Civil Espanhola.

A pintura tem o traço distintivo de Picasso e o seu olhar inabalável dos horrores da guerra tornou-a numa parte essencial da cultura e história do século XX.

Sabia que...? "Guernica" foi transferido para o Metropolitan Museum of Modern Art em Nova Iorque durante a Segunda Guerra Mundial, para proteção. Picasso pediu que a estadia fosse prolongada até que a democracia regressasse a Espanha. Finalmente voltou para Madrid em 1981, seis anos após a morte do ditador espanhol de longa data, o general Francisco Franco.

6. O Beijo

Visitantes admiram "O Beijo" de Gustav Klimt no Belvedere Superior em Viena, Áustria. Foto: Omar Marques/Anadolu Agency/Getty Images

Artista: Gustav Klimt

PUB
PUB
PUB

Data estimada: 1907 a 1908

Onde ver: Museu do Belvedere (Viena, Áustria)

Com o número seis, passamos de um estudo do ódio para o estudo do amor, com o popular "O Beijo" de Gustav Klimt.

Do Período Dourado de Klimt, podemos ver influências artísticas bizantinas nas vestes extravagantes usadas pelo casal apaixonado, em tamanho real.

O Belvedere diz que, com "O Beijo", Klimt faz "uma declaração alegórica geral sobre o amor estar no centro da existência humana". Tendo em conta o seu apelo magnético, as pessoas parecem estar de acordo.

Sabia que...? Apesar de "O Beijo" não estar à venda, outras obras de Klimt são compradas e vendidas por somas enormes. Oprah Winfrey vendeu a obra de arte de 1907 "Retrato de Adele Bloch-Bauer II" por 150 milhões de dólares em 2016, com um belo lucro de 60 milhões.

7. Rapariga com Brinco de Pérola

Uma jornalista tira uma foto de "Rapariga com Brinco de Pérola" de Johannes Vermeer, no Museu Mauritshuis, em Haia, nos Países Baixos. Foto: Michel Porro/Getty Images

Artista: Johannes Vermeer

PUB
PUB
PUB

Data estimada: 1665

Onde ver: Mauritshuis (Haia, Países Baixos)

Esta popular e intrigante pintura é muitas vezes comparada com a "Mona Lisa". Para além das diferenças de estilo, tecnicamente "Rapariga com Brinco de Pérola " não é sequer um retrato, mas sim um tronie - palavra holandesa para uma pintura de uma figura imaginária com feições exageradas.

Esta obra-prima de óleo sobre tela é brilhante na sua simplicidade. A rapariga – com um turbante azul e dourado e um brinco grande de pérola – é o foco total, apenas com um fundo escuro por detrás.

Sabia que...? Enquanto o Mauritshuis passou por uma renovação de 2012 a 2014, a "Rapariga com Brinco de Pérola " esteve numa digressão pelos Estados Unidos, Itália e Japão. Atraiu grandes multidões, aumentando ainda mais o estatuto de uma das obras de arte mais famosas.

8. O Nascimento de Vénus

Jornalista examina "O Nascimento de Vénus" do pintor italiano Sandro Botticelli durante uma antevisão de imprensa na Galeria Uffizi, em Florença, Itália, em outubro de 2016. Foto: Alberto Pizzoli/AFP/Getty Images
PUB
PUB
PUB

Artista: Sandro Botticelli

Data estimada: 1485

Onde ver: Galerias Uffizi (Florença, Itália)

A pintura mais antiga do top 10 e que compete com "O Beijo" para "a mais sensual", "O Nascimento de Vénus" foi provavelmente encomendada por um membro da abastada família Medici, amante da arte, que governou Florença e as áreas circundantes durante séculos.

Combinando um interesse renovado na cultura clássica grega com o estilo do início da Renascença, Botticelli cria uma figura inesquecível com a deusa do Amor a emergir de uma enorme concha.

Sabia que...? A Vénus de Botticelli representa dois importantes afastamentos da maioria das obras dos seus contemporâneos.

Primeiro, pintou em tela, em vez da madeira, mais popular. Segundo, a nudez era rara nesta altura – portanto, foi ousado ao ter Vénus completamente exposta, com as partes íntimas (mal) cobertas pelo seu longo cabelo esvoaçante e uma mão.

9. As Meninas

"As Meninas" de Diego Velazquez no Museu do Prado, a 19 de novembro de 2013, em Madrid, Espanha. Foto: Denis Doyle/Getty Images
PUB
PUB
PUB

Artista: Diego Velázquez

Data: 1656

Onde ver: Museu do Prado (Madrid)

Madrid é a única cidade neste artigo onde podem encontrar duas das 10 pinturas mais famosas, sendo que a primeira é "Guernica", no 5º lugar, e "As Maninas", em 9º lugar.

Exposto no popular (e grande) Museu do Prado, "As Meninas" não é apenas o quadro mais famoso de Diego Velázquez, é também um dos seus maiores. A complexidade deste trabalho tem fascinado os críticos de arte e o público desde há séculos.

A pintura é também um retrato. Serve como retrato em grupo da realeza espanhola, mas é também um autorretrato de Velázquez a trabalhar (à esquerda).

Sabia que...? "As Meninas" foi encomendado pelo Rei Filipe IV de Espanha, que governou de 1621 a 1665. Ficou no Palácio Real até 1819, quando foi para o Prado.

10. Criação de Adão

No teto da Capela Sistina, no Vaticano, a "Criação de Adão "fecha o top 10 da lista das pinturas mais famosas. Foto: VCG/Corbis/Getty Images

Artista: Miguel Ângelo

Data: 1508 to 1512

Onde ver: Capela Sistina (Vaticano)

PUB
PUB
PUB

O trabalho mais famoso do célebre artista Miguel Ângelo cobre uma seção do teto da Capela Sistina – temos de olhar para cima para o ver. A cena mostra Deus e Adão com os braços estendidos e os seus dedos quase a tocarem-se. É uma das imagens mais replicadas da História.

A forma muscular de Adão recorda outro talento de Miguel Ângelo – o seu "David" é possivelmente a escultura mais famosa do mundo. A gigantesca estátua de mármore pode ser vista na Galleria dell'Accademia, em Florença.

Sabia que...? O teto da Capela Sistina foi desgastado por séculos de exposição ao fumo de velas, entre outras coisas. Após uma limpeza longa e intensa, que terminou em 1989, as pessoas ficaram chocadas ao descobrirem as cores luminosas e vibrantes que Miguel Ângelo usou originalmente.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.

Artes

Mais Artes