Condutores são dos que mais cumprem penas de prisão em casa

4 mar, 06:56
Vigilância eletrónica de reclusos em causa por falta trabalhadores: “Vai se tornar impossível”

REVISTA DE IMPRENSA || Crime de condução sob efeito do álcool, punível com pena até um ano, e condução sem carta, com pena até dois anos, representa 62,3% dos crimes

A maioria das pessoas que cumpriu pena de prisão em casa, entre 1 de janeiro de 2018 e 31 de dezembro de 2023, tinha sido condenada por crimes na estrada, avança o Jornal de Notícias que cita dados da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

Segundo o jornal, em seis anos, os tribunais solicitaram 4.384 vezes que fosse aplicada a medida.

O aumento de número de penas cumpridas em domiciliária, com pulseira eletrónica, deve-se à revisão da lei em 2018 que passou a abranger penas até dois anos de prisão - e não só um, como até então - e fez com que a média de solicitações passasse a ser de 730,6 solicitações por ano.

O crime de condução sob efeito do álcool, punível com pena até um ano, e condução sem carta, com pena até dois anos, representa 62,3% dos crimes.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados