Loures termina limpeza no Parque Tejo e recolhe 125 toneladas de resíduos

Agência Lusa , FG
10 ago 2023, 17:21
Lixo JMJ (Ana Brigida/AP)

Alguns materiais recolhidos que foram abandonados pelos peregrinos podem ainda ser reutilizados por outras instituições, nomeadamente sacos cama e cantis

O município de Loures concluiu esta quinta-feira os trabalhos de limpeza na sua parte do recinto Parque Tejo que acolheu a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), tendo recolhido 120 toneladas de resíduos indiferenciados e cinco toneladas de embalagens.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Loures, no distrito de Lisboa, indica que os resíduos recolhidos, numa área de 75 hectares, foram encaminhados para a estação de tratamento da Valorsul.

“Foram encaminhados para a Valorsul cerca de 120 toneladas de resíduos indiferenciados e cinco toneladas de embalagens, resultantes das 24 horas de ocupação daqueles terrenos. Esta intervenção foi executada por uma centena de trabalhadores da Câmara Municipal de Loures e dos Serviços Intermunicipalizados, apoiados por diversos meios mecânicos”, é indicado na nota da autarquia.

Com a conclusão dos trabalhos, o município de Loures “deixa o espaço preparado” para acolher a 38.ª Semana Académica de Lisboa, o primeiro evento a realizar-se no novo Parque Tejo-Trancão após a JMJ.

A iniciativa decorrerá nos dias 22, 23, 28, 29 e 30 de setembro.

Em declarações na quarta-feira à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Ricardo Leão (PS), referiu que a operação de limpeza nos terrenos do município no Parque Tejo-Trancão estava a envolver uma centena de pessoas e seis máquinas.

O autarca explicou que estavam a ser recolhidos alguns materiais que foram abandonados pelos peregrinos e que poderiam ainda ser reutilizados por outras instituições, nomeadamente sacos cama e cantis.

Sobre o futuro do Parque Tejo-Trancão, Ricardo Leão adiantou que parte do espaço (cerca de 20 hectares) ficará à disposição da população já partir da primeira semana de setembro, após a conclusão de alguns trabalhos de infraestruturação e de construção de um passadiço.

Mais a norte, nos terrenos anteriormente ocupados pelo Complexo Logístico da Bobadela e por contentores (35 hectares), vai nascer em 2024 um parque verde, num investimento do Governo de 3,5 milhões de euros.

O projeto prevê que o parque, batizado de “Papa Francisco”, tenha cerca de 600 árvores e áreas para a implementação de equipamentos para restauração, manutenção, zona desportiva e parque infantil.

Toda a área do parque será regada com “água reciclada” da Estação de Tratamento de Águas Residuais de Beirolas.

A JMJ de Lisboa terminou no domingo, no mesmo dia em que o Papa Francisco, que chegou a Portugal em 2 de agosto, regressou ao Vaticano.

O maior acontecimento da Igreja Católica juntou cerca de 1,5 milhões de jovens no Parque Tejo (Lisboa) para uma missa e uma vigília, com a presença do Papa Francisco.

A próxima JMJ realiza-se dentro de quatro anos em Seul, na Coreia do Sul.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados