Queda na Volta deixou «alguém gravemente lesionado»

5 ago, 20:04
Mauricio Moreira e Rafael Reis na primeira etapa da Volta a Portugal

Rafael Reis, atual líder da classificação geral, relata o que viu na queda na primeira etapa, já dentro dos últimos três quilómetros. Escapou por pouco e levou «só uma canelada»

A primeira etapa da Volta a Portugal ficou marcada por uma queda já dentro dos últimos três quilómetros, que por isso não alterou as contas da classificação geral, mas deixou marcas em alguns ciclistas. Tudo começou depois de um estreitamento perigoso, com o argentino Tomas Contte, da Aviludo-Louletano-Loulé Concelho a cair, causando um efeito dominó que apanhou Tiago Antunes (Efapel) e quase derrubou o líder da geral, Rafael Reis, da Glassrive-Q8-Anicolor.

Em declarações no final da etapa, citado pela Lusa, Rafael Reis testemunhou que foi tudo «uma confusão» e que houve quem ficasse gravemente lesionado.

«Mesmo na placa dos últimos três quilómetros, estava um estreitamento muito perigoso. E, depois, aquilo foi uma confusão: muita gente fora do separador, fora da barreira dos três quilómetros. Depois, entraram numa rotunda outra vez, depois saíram. Acabou por haver uma queda à falta de dois, ia-se a muita velocidade. Houve alguém que ficou gravemente lesionado, vi bicicletas partidas, e eu acabei por conseguir salvar-me. Levei só uma canelada», descreveu o ciclista da Glassdrive-Q8-Anicolor, depois de ver o colégio de comissários atribuir-lhe o mesmo tempo do vencedor da etapa.

Perante o cenário caótico, a vitória de Scott McGill quase passou despercebida, embora o jovem norte-americano se tenha imposto com autoridade em Elvas, depois de 193,5 quilómetros iniciados em Vila Franca de Xira, com o tempo de 04:30.28 horas. A primeira etapa em linha era também a tirada mais longa da 83.ª edição.

Relacionados

Patrocinados