Covid-19: Vorácová quer indemnização e avisa que não será «modesta»

11 jan, 18:44
Renata Voracova
Renata Voracova

Tenista checa exige compensação à federação australiana após ter sido deportada do país

PUB

A tenista checa Renata Vorácová revelou que vai pedir uma indemnização à federação australiana da modalidade (TA), isto depois de ter sido deportada do país por não estar totalmente vacinada contra a covid-19, num caso com contornos semelhantes aos de Novak Djokovic.

Ao jornal Denik, a atleta anunciou que não será «modesta» na hora de apresentar os valores, tendo em conta «o bilhete de avião, que custou 2.460 euros, o tempo gasto em todo o processo, os hotéis que foram pagos, os treinos realizados para o Open da Austrália, além de um eventual prémio».

PUB

«Espero que a TA concorde e aceda a este pedido de indemnização, e que não seja necessário avançar com procedimentos legais», disse Vorácová.

A tenista de 38 anos regressou a Praga na última segunda-feira, após o visto ter-lhe sido revogado pelas autoridades australianas.

Renata Vorácová chegou à Austrália em dezembro graças a uma isenção médica concedida pela federação de ténis australiana, já que recuperou recentemente da covid-19.

Ainda assim, foi deportada após a polémica em torno do sérvio Djokovic, que também teve o visto revogado ao aterrar em Melbourne, por alegadamente não cumprir os requisitos de entrada, decretados para conter o avanço a pandemia no país.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Patrocinados