Mau tempo: prejuízos em freguesia do concelho de Manteigas superiores a um milhão de euros

Agência Lusa , MJC
17 set, 22:05

O levantamento dos prejuízos ainda está a ser feito e deverá estar terminado no fim da próxima semana

Os prejuízos causados pela chuva intensa que afetou a freguesia de Sameiro, no concelho de Manteigas, na serra da Estrela, serão superiores a um milhão de euros, disse hoje o presidente da câmara local.

“Estamos a falar sensivelmente de mais de um milhão de euros de prejuízos”, referiu Flávio Massano, sobre a freguesia que na madrugada de terça-feira foi fortemente afetada pela intensidade da chuva, que arrastou terras e detritos das áreas ardidas da serra da Estrela para o centro da aldeia.

Segundo detalhou, o levantamento dos prejuízos ainda está a ser feito e deverá estar terminado no fim da próxima semana, sendo que a estimativa já aponta para mais de um milhão, incluindo a componente pública e privada.

A força da corrente também arrastou lama, cinza e árvores de grande porte, tendo ficado danificados vários equipamentos públicos, a rede de água e saneamento, muros, infraestruturas e piscinas e também propriedades privadas.

O autarca falava após uma reunião que a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, promoveu com os autarcas dos concelhos afetados pelo fogo da serra da Estrela para lhes apresentar as medidas que foram aprovadas e que serão detalhadas numa resolução do Conselho de Ministros, que deve ser publicada ao longo da semana.

No início da visita a governante também passou pela freguesia de Sameiro, verificando o grau de destruição e os trabalhos que ainda decorrem no local.

Questionado sobre os meios, o presidente da Câmara de Manteigas sublinhou que as operações começaram no próprio dia com um forte dispositivo de várias entidades municipais, de proteção civil e populares.

Esclareceu que, para já, está planeado que o dispositivo se mantenha até domingo ao final do dia, sendo que poderá ser estendido em caso de necessidade.

“Mas posso assegurar que os trabalhos não vão acabar já”, acrescentou.

Referiu ainda que a prioridade da intervenção passou pela desobstrução dos leitos para evitar que o fenómeno voltasse a ocorrer e que agora estão a decorrer ações de remoção do entulho e limpeza.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados