Bolsonaro cancela almoço com Marcelo em Brasília: "Teve a gentileza de o confirmar por escrito"

João Guerreiro Rodrigues , Pedro Teixeira e Leandro Magalhães, da CNN em Brasília
1 jul, 21:39

Diplomatas ainda estão a trabalhar para tentar reverter a situação

O presidente do Brasil Jair Bolsonaro decidiu desmarcar o almoço que tinha previsto com o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, na próxima segunda-feira em Brasília.

Segundo apurou a CNN Brasil, o cancelamento aconteceu depois de Marcelo ter confirmado um encontro com ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no próximo domingo em São Paulo. Lula é o principal adversário de Bolsonaro nas eleição deste ano, em outubro.

"Ele teria uma reunião com o Lula. Resolvi cancelar o almoço que ele teria comigo, bem como toda a programação", justificou o presidente brasileiro à CNN Brasil, após ter sido questionado acerca deste cancelamento.

De acordo com o Governo português, Marcelo Rebelo visitaria São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, mas com o cancelamento do evento que aconteceria no Itamaraty o chefe de Estado não deve viajar para a capital do país.

Segundo fontes do governo brasileiro ouvidas pela CNN Brasil, a decisão gerou estranheza nos diplomatas envolvidos na negociação, que ainda estão a trabalhar para reverter a situação provocada pelo incómodo de Bolsonaro.

Marcelo Rebelo de Sousa reage 

Momentos antes de viajar para o Brasil, o Presidente da República não comentou os motivos do cancelamento do encontro com Bolsonaro e sublinha que não lhe cabe a ele explicar "as razões pela qual foi convidado ou se se mantém o convite".

"É evidente que se Bolsonaro entende que não pode, não quer, não é oportuno, não entra na sua programação, teve a gentileza de o confirmar por escrito. Não vou a Brasília", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionado sobre se este incidente altera as relações entre Portugal e Brasil, o Presidente foi taxativo: "Nada!"

Marcelo Rebelo de Sousa falou ainda sobre as diferenças entre os dois países no que toca à resolução do conflito na Ucrânia. "Portugal e o Brasil têm posições diferentes. Portugal é aliado da Ucrânia, o Brasil não. Isso é uma questão pesada. O almoço não é uma questão pesada, não constava sequer no primeiro programa de visita", acrescentou.

Texto atualizado às 23:24

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados