Saiba tudo sobre o Euro aqui

Vizela-Rio Ave, 1-1 (crónica)

Bruno José Ferreira , Estádio do FC Vizela
27 abr, 17:35

Rei dos empates entrega Vizela ao destino

O Vizela sai do embate com o Rio Ave a respirar, mas entregue ao destino. A equipa de Ruben de la Barrera – dependendo do revoluir da jornada – pode ver confirmada a descida já nesta ronda. Um empate (1-1) que até podia ser positivo, após cinco derrotas consecutivas, deixa os vizelenses ligados à calculadora.

Umas contas das quais o Rio Ave ainda não se livrou, mas tem outra tranquilidade, somando mais um ponto à sua caminhada. O rei dos empates não conseguiu suster a vantagem construída logo aos quatro minutos, vendo o Vizela crescer e ser mais equipa durante largos períodos de tempo.

Num jogo algo atabalhoado, o triunfo podia ter caído para qualquer um dos lados com oportunidades flagrantes na reta final, mas manteve-se a igualdade a uma bola construída na primeira metade. Os vizelenses estiveram iguais a si mesmos: demonstraram bons processos, mas desequilibram-se com facilidade, cometendo erros crassos.  

Golo a abrir cria corrente vizelense

Mais tranquilo na tabela classificativa, o Rio Ave dificilmente poderia imaginar melhor arranque de jogo. Chegou à vantagem logo numa das primeiras aproximações às balizas. Umaro Embaló desequilibrou na esquerda, cruzou rasteiro fazendo a bola cruzar as costas da defesa e Ruberto, com Aziz a aparecer para encostar.

Embate desbloqueado desde logo, propiciando um clima ainda mais tenso em torno da equipa do Vizela. Mas, a equipa de Luís Freire esperou que a corrente que estaria criada a levasse a bom porto, acabando por ficar refém de uma reação positiva do conjunto vizelense.

O conjunto de Ruben de la Barrera criou a sua própria corrente, praticamente impondo sentido único ao jogo. Por vezes de forma atabalhoada, o ímpeto não ajudava e o esférico cruzava a área de Jhonatan – teve duas intervenções cruciais – com perigo. A corrente vizelense deu frutos pouco antes do intervalo, pelo inevitável Essende.

Empate, apesar das oportunidades de golo

Lokilo levantou bem a cabeça, isolando o avançado com um passe picado com o pé esquerdo, dando as costas da defesa a Essende que de primeira atira para o empate ao minuto 37, relançando o jogo. 

Jogo à medida de um Rio Ave organizado, com dificuldades em vencer, mas a quem é difícil ganhar. O rei dos empates – somou o oitavo em nove jornadas – organizou-se perante um Vizela a lutar pela sobrevivência, contra o destino e contra as probabilidades praticamente impossíveis. 

Ruberto ainda fez duas defesas quase que milagrosas a impedir um segundo golo da equipa de Vila do Conde. O Vizela podia também ter marcado. Ba-Sy e Matheus Pereira estiveram perto de abanar as redes no mesmo lance. O empate estava traçado. Mais um ponto para o Rio Ave, o Vizela está entregue ao destino.

Patrocinados