opinião

A Liberdade

14 jun, 07:00

Notas Soltas

Desde a Revolução Francesa que o debate impôs -se: esquerda e direita; liberdade e igualdade. A direita, conservadora ou liberal, sempre valorizou na sua reflexão política a questão da liberdade. Pelo contrário, a esquerda "mais radical", fundada nos princípios do Marxismo, sempre insistiu no tema da igualdade. Igualdade entre os homens, mas principalmente igualdade de acesso e oportunidades. A "luta de classes" tem que ser analisada segundo estes princípios basilares. O Manifesto Comunista de Karl Marx é de 1848. Estávamos em plena Revolução Industrial: patrões e proletariado. Pouco tempo depois, surgiu a sua obra- prima "O Capital"  cuja ideia base tem a ver com a apropriação dos meios de produção em favor do lucro; em desfavor do proletariado.

Sou sensível ao tema não só porque o estudei atentamente (li "O Capital" com 14 anos de idade assim como li uma das obras literárias da era Soviética): "A Mãe", de Maximo Gorki.

Decorridos dezenas de anos, o que penso? Vários pontos: Temos que contar com as circunstâncias e com a sorte. Uma sociedade é justa quando amplia as possibilidades de todos os cidadãos. Perdemos demasiado tempo com coisas superficiais. A rotina aborrece-nos mas a novidade assusta-nos.

E finalmente : A liberdade consiste em limitar o poder do destino.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados