Apostadores de jogos 'online' aumentam em Portugal e atingem quase quatro milhões

Agência Lusa , DCT
16 jan, 13:27
Compras online

Relativamente ao período homólogo de 2022, registou-se um crescimento da receita bruta em 57 milhões de euros (mais 36%), em resultado do aumento observado tanto em jogos de fortuna ou azar, como nas apostas desportivas à cota (44,8 milhões e 12,3 milhões de euros, respetivamente).

O número de apostadores em Portugal cresceu no terceiro trimestre de 2023, totalizando quase quatro milhões, segundo um relatório, que aponta um aumento de 57 milhões de euros da receita dos jogos ‘online’ face ao mesmo período de 2022.

O relatório do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), que analisa a atividade do jogo em Portugal, revela que, no terceiro trimestre de 2023, e no conjunto das 17 entidades exploradoras, o número de registos de jogadores situou-se nos 3.923,5 mil, mais 2,8% face ao trimestre anterior, em resultado de 205,2 mil novos registos e do cancelamento de 97,8 mil registos de jogadores.

Segundo o documento, a atividade de jogos e apostas ‘online’ gerou, entre julho e setembro do ano passado, cerca de 215,3 milhões de euros de receita bruta, mais 9,4 milhões de euros comparativamente ao trimestre anterior.

“Este valor resulta do aumento de 11,5 milhões de euros observado em jogos de fortuna ou azar (mais 9,4%) e da diminuição em 2,1 milhões de euros da receita bruta em apostas desportivas à cota (menos 2,5%)”, lê-se no documento publicado no ‘site’ do SRIJ.

Relativamente ao período homólogo de 2022, registou-se um crescimento da receita bruta em 57 milhões de euros (mais 36%), em resultado do aumento observado tanto em jogos de fortuna ou azar, como nas apostas desportivas à cota (44,8 milhões e 12,3 milhões de euros, respetivamente).

No período em análise, o valor das apostas em jogos de fortuna ou azar foi de 3.646,7 milhões de euros, mais 47,2% comparativamente ao mesmo período de 2022 e mais 12,5% face ao segundo trimestre de 2023.

As apostas em Jogos de Máquinas representaram 82,3% do total de apostas em jogos de fortuna ou azar ‘online’.

Relativamente ao registo de novos jogadores, o relatório indica que 81,6% tinham idade inferior a 45 anos, dos quais 32,5% tinham idades entre os 18 e os 24 anos.

Os distritos do Porto e Lisboa são os que apresentam a maior concentração de jogadores (21,2% e 20,7%, respetivamente), seguindo-se os distritos de Braga, Setúbal e Aveiro, que totalizam 25% do total de jogadores registados.

Em 30 de setembro de 2023, no conjunto das entidades exploradoras, encontravam-se autoexcluídos da prática de jogos e apostas ‘online’ 196,6 mil registos de jogadores (mais 15 mil que em 30 de junho de 2023), uma variação que é explicada pela autoexclusão de 35,6 mil registos de jogadores e pelo término da autoexclusão de 20,6 mil.

O rácio dos autoexcluídos face ao número de registos de jogadores no final do 3º trimestre de 2023 era de 5,0%.

No que respeita à atividade do jogo praticado em casinos, sala de máquinas e de bingo, o relatório revela que gerou, no terceiro trimestre de 2023, cerca de 76,1 milhões de euros de receita bruta, representando uma subida de 14% face ao trimestre anterior, e um aumento de 7,8% face ao período homólogo de 2022.

Segundo o documento, para este crescimento “em muito contribuiu o aumento do jogo bancado e do jogo praticado em máquinas automáticas, responsáveis, respetivamente por 23,64% e 75,12%, o que totaliza cerca de 98,76% do total da receita bruta”.

Desde a entrada em vigor do Regime Jurídico dos Jogos e Apostas Online, a 29 de junho de 2015, e até 30 de setembro de 2023, foram enviadas 1.172 notificações a operadores ilegais de jogo online para encerrarem a sua atividade em Portugal (23 durante o 3º trimestre de 2023) e procedeu-se à notificação aos prestadores intermediários de serviços em rede para o bloqueio de 1 590 sítios na Internet de operadores ilegais (84 no trimestre em análise), refere o documento.

No total foram efetuadas 26 participações junto do Ministério Público para efeitos de instauração dos correspondentes processos-crime (uma durante o trimestre em análise).

País

Mais País

Patrocinados