Premier League aprova venda do Chelsea, sujeita a aprovação do Governo

24 mai, 21:12
Adeptos do Chelsea apoiam Abramovich (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Operação está dependente de uma licença especial que terá de ser concedida pelas autoridades britânicas. Governo português também decide sobre o negócio

A Premier League aprovou nesta terça-feira a venda do Chelsea ao consórcio liderado pelo bilionário norte-americano Todd Boehly, mas a operação ainda está sujeita a uma licença especial do Governo britânico.

Tal autorização é necessária, uma vez que os blues estão a funcionar debaixo de várias limitações, fruto das sanções britânicas impostas sobre o ainda proprietário russo Roman Abramovich, na sequência da invasão russa à Ucrânia. A licença atual expira a 31 de maio e o clube precisa de uma extensão especial para poder completar a compra de Boehly, coproprietário da equipa de basebol dos Los Angeles Dodgers.

O anúncio da venda do Chelsea por 4,25 mil milhões de libras (4,9 mil milhões de euros) foi feito a 7 de maio. A Premier League explicou que Boehly e o seu consórcio passaram no teste de proprietários e presidentes, pelo que os blues precisam agora de trabalhar com as autoridades competentes para garantir que a transação possa ser concluída.

Quando o Governo der «sinal verde» e a operação for concluída, os londrinos poderão trabalhar novamente, comprar e vender jogadores, bem como reabrir a loja do clube e vender bilhetes para todas as competições.

Note-se que as autoridades portuguesas terão também de autorizar o negócio, uma vez que Abramovich também tem passaporte português e o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, confirmou esta terça-feira que está em contacto com o Governo britânico.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados