Incêndios fazem 29 feridos em dois dias. Proteção Civil preocupada com evolução dos fogos à noite

9 jul, 19:51

"Vento, humidades relativas muito baixas e a temperatura mínima acima dos 25 graus, não ajuda o combate", diz Comandante Nacional da Proteção Civil, André Fernandes

Nos últimos dois dias, os incêndios que lavram de norte a sul do país já fizeram 29 feridos.

A informação é avançada em pelo Comandante Nacional da Proteção Civil, André Fernandes, que adianta que todas as vítimas são consideradas ligeiras.

"Não há nenhum ferido com gravidade", diz André Fernandes, revelando que, dos feridos, 12 são agentes da Proteção Civil e 17 são civis.

A nível de danos materiais confirmados, o comandante referiu que no incêndio de Santarém, em Ourém, ficaram totalmente destruídas pelas chamas duas habitações, assim como dois anexos de outras duas habitações.

No fogo de Vale da Pia, em Pombal, Leiria, três habitações ficaram danificadas. André Fernandes diz ainda que há registo de um desalojado fruto do incêndio de Santarém, mas que a situação já terá sido resolvida com a câmara.

Preocupação para a noite

O Comandante Nacional da Proteção Civil diz que o incêndio de Carrazeda de Ansiães é o que está a preocupar mais os operacionais. "Preocupa-nos durante a noite, está a dirigir-se para sul, em direção a Campelos e Lavandeira.

André Fernandes diz, no entanto, que não há casas em risco de imediato.Também o incêndio de Ourém, que afeta os distritos de Santarém e de Leiria está a causar preocupação devido ao "povoamento florestal denso" e às condições do cair da noite, "que não facilitam".

Também o incêndio de Vale da Pia, que afeta os municípios de Pombal, Ansião e Alvaiázere, causa preocupação porque mantem duas frentes ativas: Barreira e Santiago de Ariques. "Esta situação não nos deixa muita margem para atuar. O vento, humidades relativas muito baixas e a temperatura mínima acima dos 25 graus, não ajuda o combate", remata.

País

Mais País

Patrocinados