Cardeal e cinco ativistas multados em caso de fundo de apoio a protestos em Hong Kong

Agência Lusa , AM
25 nov, 06:30
Cyd Ho, cardeal Joseph Zen, Margaret Ng, Denise Ho e Hui Po-keung (Associated Press)

Os seis negaram a acusação de não ter pedido a inscrição num período específico, entre 16 de julho de 2019 e 31 de outubro do ano passado

O cardeal católico Joseph Zen e cinco ativistas de Hong Kong foram esta sexta-feira considerados culpados e multados por não terem registado a tempo um fundo de defesa legal criado para apoiar os protestos antigovernamentais de 2019.

O antigo líder católico, agora reformado e com 90 anos, era o administrador do fundo, juntamente com os outros cinco ativistas, entre eles a cantora Denise Ho. Os seis foram multados em valores que variaram entre os 2.500 e os quatro mil dólares de Hong Kong (307 e 492 euros), noticiou o jornal South China Morning Post (SCMP).

Os seis negaram a acusação de não ter pedido a inscrição num período específico, entre 16 de julho de 2019 e 31 de outubro do ano passado.

O tribunal entendeu que o agora extinto "Funda de Ajuda Humanitária 612" estava enquadrado na definição de uma sociedade, o que obrigava os membros a registar o grupo na polícia ou a pedir isenção.

Por outro lado, o tribunal considerou que o regime de registo não impunha restrições excessivas à liberdade de reunião e associação protegida pela Lei Básica, a miniconstituição da cidade.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados