Alta patente militar diz que Moscovo quer entrar na Moldova porque há relatos de "população russófona oprimida"

22 abr, 13:52

Major-general russo garante que um dos objetivos da invasão da Ucrânia, além da conquista das regiões do leste e sul do país, passa também por chegar à Transnístria, região separatista da Moldova, país que esta sexta-feira entregou o primeiro questionário para aderir à União Europeia

A Federação Russa quer entrar em território da Moldova, onde diz haver relatos de "opressão" da população da Transnístria, disse esta sexta-feira um militar russo de alta patente. Segundo o major-general Rustam Minnekayev, que falou sobre a designada operação militar especial de Moscovo na Ucrânia, a Rússia está a planear controlar totalmente a região de Donbass, no leste da Ucrânia, bem como o sul do país como parte da segunda fase desta operação. 

De acordo com a mesma fonte, Moscovo planeia mesmo entrar na Transnístria, região separatista pró-russa da Moldova que se autodenomina República Moldava Pridnestroviana - e onde há soldados russos a garantir a segurança das zonas fronteiriças.  As agências de notícias russas citaram Rustam Minnekayev, que é vice-comandante do distrito militar central da Rússia, a dizer que Moscovo quer ainda estabelecer um corredor por terra entre a região do Donbass e a Crimeia, anexada pela Rússia em 2014. 

"Desde o início da segunda fase da operação especial, que começou há apenas dois dias, uma das tarefas do exército russo é estabelecer total controlo do Donbass e do sul da Ucrânia. Isto permitirá abrir um corredor para a Crimeia, bem como afetar as unidades vitais da economia ucraniana", disse Minnekaye. O alto militar acrescentou ainda que o controlo do sul da Ucrânia dará acesso à referida região separatista da Transnístria, "onde também há provas de que a população russófona está a ser oprimida". 

O major-general fez estes comentários, citados pelas agências de notícias russas, durante uma reunião na região russa de Sverdlovsk. Questionado pela BBC a propósito destas informações, o Ministério da Defesa da Rússia referiu apenas que está a "averiguar" o que foi dito.   Já esta sexta-feira, a Moldova anunciou que entregou o primeiro questionário para adesão à União Europeia.

 "Estamos prontos para fazer a nossa parte de forma rápida e diligente, para dar à Moldova uma oportunidade para um futuro melhor, mais seguro e próspero", escreveu nas redes sociais a presidente Maia Sandu.

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados