Militares ucranianos recuperam controlo de mais de 30 cidades e vilas na região de Kiev

CNN Portugal , HCL
2 abr, 16:58

Zonas foram recuperadas num momento em que as tropas russas estão a reduzir as operações em torno da capital. No entanto, um assessor presidencial avisou que os próximos dias "não serão fáceis"

A Ucrânia disse este sábado que os seus militares recuperaram o controlo de mais de 30 cidades e vilas na região de Kiev, ao mesmo tempo em que a Rússia anunciou que vai reduzir as suas operações na capital para se concentrar em batalhas no leste, informou a Reuters.

De acordo com a conta oficial de Telegram dos serviços de emergência da Ucrânia, foi pedido aos moradores das zonas recém-libertadas da região de Kiev que fiquem vigilantes, referindo que mais de 1.500 explosivos foram encontrados durante uma operação de busca na vila de Dmytrivka, a oeste da capital.

Durante a manhã, o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy acusou soldados russos de deliberadamente colocar minas nas áreas no norte da Ucrânia enquanto se retiravam ou eram expulsos pelas forças ucranianas.

Já durante a tarde, o assessor presidencial ucraniano, Oleksiy Arestovych, disse que ainda são esperados "combates pesados" ​​no leste da Ucrânia, perto de Mariupol e no sul do país. Arestovych alertou também para o facto de o esforço militar "não ser uma tarefa fácil" nessas regiões.

Acho que retomaremos Mariupol, o leste da Ucrânia e o sul", disse. "Mas - ouça com atenção - não será fácil lá.", acrescentou, numa conferência de imprensa. Arestovych e outros altos funcionários ucranianos aumentaram os pedidos nos últimos dias para que a NATO entregue mais armamento pesado ao país

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.325 civis, incluindo 120 crianças, e feriu 2.017, entre os quais 168 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4,1 milhões de refugiados em países vizinhos e cerca de 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados