Ucrânia leva a guerra para a Rússia. Belgorod encerra escolas e comércio até terça-feira com medo de novos ataques

CNN , Andrew Carey, Maria Kostenko e Josh Pennington
16 mar, 22:09

Ataques contra as regiões que dividem Ucrânia e Rússia aumentaram nos últimos dias e prevê-se que sejam cada vez mais frequentes e com maior intensidade à medida que as presidenciais russas se aproximam do fim

Todas as escolas e colégios das partes fronteiriças da região russa de Belgorod estarão encerradas na segunda e terça-feira, na sequência de um aumento dos ataques ucranianos no território, anunciou o governador de Belgorod.

Os centros comerciais também vão estar encerrados no domingo e na segunda-feira, acrescentou Vyacheslav Gladkov numa declaração no Telegram. Os distritos afectados situam-se junto à fronteira com a Ucrânia. A própria cidade de Belgorod também está sujeita ao encerramento.

Os frequentes ataques levaram a guerra na Ucrânia até aos russos, que em grande parte estavam isolados do conflito.

O chefe de espionagem da Ucrânia, Kyrylo Budanov, disse no sábado que há russos nos grupos de sabotagem que estão a atacar as regiões russas de Belgorod e Kursk, que fazem fronteira com a Ucrânia.

"Esta é uma história sobre como os russos resolvem este problema doméstico. Podemos gostar mais de uns e menos de outros.Mas, ainda assim, ambos são russos", disse Budanov.

Acrescentou ainda, durante uma declaração transmitida pela televisão ucraniana, que os ataques iriam continuar.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que os ataques nas regiões de Belgorod e Kursk foram em grande parte mal sucedidos e que o presidente russo Vladimir Putin está a ser constantemente informado sobre a situação, como noticia a agência de notícias estatal russa RIA Novosti.

Na sua declaração anterior, o governador de Belgorod, Gladkov, afirmou que "a situação é bastante difícil tanto na cidade como no distrito de Belgorod. Naturalmente, a questão de segurança é a mais importante para todos nós".

"É evidente que os professores, as amas e o pessoal técnico estão todos preocupados", afirmou.

As escolas e os colégios dos distritos afetados foram efetivamente encerrados desde terça-feira à noite, quando Gladkov anunciou que os estudantes iriam participar naquilo a que chamou "dias de auto-aprendizagem" até sexta-feira. Na altura do anúncio, disse esperar que as escolas pudessem retomar as suas actividades normais na segunda-feira.

Um homem anda de bicicleta perto de um pavilhão do mercado danificado por um bombardeamento recente na cidade de Shebekino, na região de Belgorod, na Rússia, a 11 de março. (Fonte: Maxim Shemetov/Reuters)

A Ucrânia tem vindo a atacar a região de Belgorod desde a primeira metade de 2023, mas intensificou os bombardeamentos e os ataques há cerca de uma semana.

Tal como noutras regiões da Rússia, a população de Belgorod está a votar num escrutínio que, segundo as expectativas gerais, irá permitir o regresso de Vladimir Putin ao poder como presidente.

A votação prosseguiu para o segundo dia este sábado, tendo as autoridades detido vários russos por atos de desobediência civil.

No sábado, Gladkov disse também que duas pessoas foram mortas nos ataques durante a madrugada, incluindo um camionista cujo veículo foi atingido por um projétil.

O Ministério da Defesa russo afirmou numa publicação no seu próprio canal Telegram, no sábado, que as forças russas tinham repelido as tentativas dos combatentes ucranianos de se infiltrarem na Rússia em vários locais, dizendo que tinham levado a cabo "um complexo ataque de fogo contra concentrações de mão de obra e equipamento inimigo".

Também no sábado, uma fonte ucraniana disse à CNN que o serviço de segurança da Ucrânia (SBU) efetuou ataques com drones contra três refinarias de petróleo na região russa de Samara.

As três refinarias - todas pertencentes à empresa petrolífera Rosneft - estão situadas ao longo do rio Volga, em Novokuibyshevsk, Samara e Syzran, e estão localizadas a cerca de 1.000 quilómetros do território controlado pela Ucrânia.

Os residentes locais de Belgorod têm publicado vídeos nas redes sociais regionais que mostram explosões na cidade e incêndios no exterior de edifícios residenciais onde ocorreram ataques ucranianos.

Num dos vídeos, ouve-se uma mulher a dizer à mãe que tem medo de sair de casa.

No início da semana, grupos ucranianos de combatentes russos efetuaram, na terça-feira, um ataque transfronteiriço em Belgorod, enquanto a cidade de Belgorod foi alvo de fortes ataques de drones e bombardeamentos.

De acordo com uma contagem da CNN, pelo menos cinco pessoas foram mortas na última semana e várias dezenas ficaram feridas.

Europa

Mais Europa

Patrocinados