"A Europa vai beneficiar como um todo" se Montenegro tiver "sucesso": von der Leyen escreve sobre o PM indigitado

CNN
21 mar, 12:24
Ursula Montenegro

Presidente da Comissão Europeia reuniu-se esta quinta-feira em Bruxelas com o primeiro-ministro indigitado

É um breve tweet (ainda é assim que se chama?): Ursula von der Leyen apreciou o primeiro encontro com Luís Montenegro, indigitado de madrugada para que se pudesse reunir com a presidente da Comissão Europeia numa condição de Estado em vez de no estado de líder partidário. "Bom primeiro encontro com
@LMontenegroPSD", começa por escrever von der Leyen.

Além dos parabéns da praxe, a presidente da Comissão Europeia aproveitou o tweet (ou lá como se chama agora) para sublinhar que o momento que a Europa vive "é crucial": há uma guerra às portas da União Europeia, há países que não eram da NATO e que agora são devido à ameaça russa, há países que não são da União Europeia e que estão em vias de o ser - Moldova, a própria Ucrânia. E com isso há desafios imprevisíveis, desafios que se juntam à crise da habitação - que não é um problema exclusivo de Portugal -, às tensões com a migração, à ascensão da extrema-direita - outro problema sem exclusividade portuguesa -, há uma crise da inflação que continua a ser crise ainda que seja uma crise sem o tamanho que já teve, há as famosas taxas de juro que não descem dos patamares para onde subiram - e os lucros da banca expandem-se enquanto as comissões cobradas continuam com descidas tímidas e isso "é um excelente exemplo de ausência de consciência social". A lista de desafios é maior, esta é apenas uma introdução.

O novo Governo português - que é conhecido dentro de uma semana e que toma posse a 2 de abril - surge neste contexto mas acrescenta um cenário de instabilidade política interna que levanta preocupações. E sobre isso Montenegro já revelou que foi dizer a von der Leyen para não estar preocupada, que vai ser certamente "um Governo estável". Se for, von der Leyen sublinha no tweet (ou no xweet, neologismo mais doce que o neologismo sem o w ali no meio) que a Europa "beneficia como um todo" se Montenegro tiver "sucesso".

Política

Mais Política

Patrocinados