Governo confirma subida de 0,9% nos salários da função pública em linha com inflação recorde

CNN
30 nov 2021, 11:12
Dinheiro
Dinheiro

Taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 2,6% em novembro de 2021. Apesar da subida recorde, foi insuficiente para que a inflação média anual promovesse aumentos na função pública superiores aos 0,9% já definidos pelo Governo

PUB

A variação homóloga da inflação em novembro registou máximos de quase uma década, mas terá sido insuficiente para provocar uma subida de salários da função pública no próximo ano acima dos 0,9%.

"Tal como já tinha sido afirmado, a atualização será no mínimo os 0,9% negociados com os sindicatos, com o Governo a assumir o compromisso de acompanhar a inflação média a 12 meses verificada a 30 de novembro se fosse superior (descontando a esse valor na mesma os 0,1% da deflação de 2020)", disse fonte do Governo à CNN Portugal.

PUB

A mesma fonte acrescenta que “tendo em conta os dados do INE hoje publicados, tudo indica que a estimativa da inflação a 12 meses não se alterará e, portanto, mantém-se a atualização salarial de 0,9%, cumprindo o compromisso assumido pelo Governo”.

Os dados provisórios divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram uma variação de 2,6% no mês em análise, o que, a confirmar-se nos dados definitivos, representa a maior oscilação deste setembro de 2012. Ainda assim, este número faz com que a inflação média dos últimos doze meses seja de 1%, uma décima aquém do valor definido pelo Governo para "dar gás" aos aumentos salariais da função pública. 

PUB
PUB
PUB

Ao contrário do que acontece com as pensões, para os salários não existe nenhuma legislação que permita atualizações automáticas. Por isso, conta a fórmula acordada entre a ministra da Administração Pública, Alexandra Leitão, e os sindicatos, sendo que o valor desta atualização - a acontecer - seria igual à taxa de inflação média verificada em novembro, à qual se retira a deflação de 0,1% registada em novembro de 2020. 

Ora, tendo em conta que a inflação média anual foi de 1,02%, se descontarmos a deflação acima descrita, o valor dos aumentos fica nos 0,9%, tal como já tinha sido previsto pelo executivo na proposta para o Orçamento do Estado, entretanto chumbado. Mas mesmo sem a aprovação do documento, o Governo garantiu que será possível proceder aos aumentos já em janeiro. 

A variação homóloga da inflação em Portugal subiu quase sempre desde o início deste ano, há exceção do mês de maio. 

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Economia

Mais Economia

Patrocinados