Taxa de inflação homóloga aumenta para 2,6%

Agência Lusa , CM
30 nov 2021, 09:56
Compras de Natal na baixa de Lisboa

Segundo o INE, em outubro a taxa foi de 1,8%. Atualização salarial da função pública para 2022 deverá manter-se em 0,9%

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 2,6% em novembro face aos 1,8% registados em outubro, segundo a estimativa rápida para a inflação divulgada hoje pelo INE.

"Tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 2,6% em novembro de 2021 (1,8% em outubro)", pode ler-se no destaque do Instituto Nacional de Estatística.

De acordo com o INE, o indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado uma variação de 1,8%, tendo aumentado face aos 1,1% verificados no mês anterior.

"Estima-se que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos se situe em 14,2% (13,4% no mês precedente) enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 0,8% (-0,7% em outubro)", indica o instituto.

Face ao mês anterior, a variação do IPC ter-se-á fixado em 0,5% (valor idêntico em outubro de 2021 e -0,3% em novembro de 2020).

Segundo o INE, é estimada uma variação média nos últimos doze meses de 1,0%, face aos 0,8% no mês anterior.

Inflação confirma aumentos salariais de 0,9% na função pública

A atualização salarial da função pública para 2022 deverá manter-se em 0,9%, como proposto pelo Governo, tendo em conta a variação média da inflação anual em outubro, publicada hoje pelo INE.

Segundo a estimativa rápida do INE, a variação média anual em outubro da inflação foi de 1,02% e, retirando a habitação, foi de 0,99%.

Na última ronda negocial com os sindicatos, em 17 de novembro, a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, afirmou que para a atualização salarial dos funcionários públicos seria tida em conta a inflação anual verificada em 30 de novembro, descontada a deflação de 0,1% que se verificou em 2020.

A proposta de atualização salarial de 0,9% custará 225 milhões de euros, segundo o Governo.

Inflação na zona euro quase nos 5%

A taxa de inflação homóloga da zona euro aumenta pelo quinto mês consecutivo devendo fixar-se nos 4,9% em novembro, segundo uma estimativa rápida do Eurostat hoje divulgada.

De acordo com o serviço de estatísticas europeu, os 4,9% de inflação homóloga na zona euro comparam-se com os 4,1% de outubro e os -0,3% de novembro de 2020 e são puxados pela subida dos preços de todos os seus componentes, principalmente a energia.

Entre as principais componentes da inflação da zona euro, a energia deverá ter a taxa homóloga mais elevada em novembro (27,4%, contra 23,7% em outubro), seguida dos serviços (2,7%, contra 2,1% em outubro), dos bens industriais excluindo energia (2,4%, contra 2,0% em outubro) e dos alimentos, álcool e tabaco (2,2%, contra 1,9% em outubro).

 

Economia

Mais Economia

Patrocinados