Saiba tudo sobre o Euro aqui

Presidente da Federação quer Liga espanhola com menos jogos e em Miami

14 jul 2021, 11:48
Luis Rubiales (AP)

Luis Rubiales vai reunir com o homólogo da Liga espanhola e propor medidas que tornem o campeonato mais entusiasmante sobretudo para os jovens

Luis Rubiales, presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), revelou que vai propor alterações ao formato da Liga espanhola para que esta se torne, como acredita que acontecerá se as mudanças avançarem, mais interessante no plano desportivo e financeiro.

«Nos próximos dias vou convidar Javier Tebar [presidente da Liga espanhola] para nos reunirmos no sentido de tentar mudar o formato atual da Liga. Mudámos o formato de muitas competições e o resultado está à vista. É necessário reduzir os dias que ocupam o calendário. Há que propor que haja menos dias, mas também mais espetáculo. Há que inventar e captar a atenção dos mais jovens com emoção», afirmou em declarações à Europa Press.

Menos jogos, mas não só para quem considera que a Liga espanhola estagnou. «Vamos propor que haja jogos da Liga em campo neutro. Seriam menos jornadas e seriam geradas mais receitas. Poderia estudar-se jogar-se em Miami. As equipas poderiam jogar dentro e fora do país. [Mas] Agora não é viável jogar em campo neutro, todos jogam em casa e fora, pelo que isso seria desvirtuar a competição. Há que mudar. Os jovens têm inquietudes diferentes desde há 30 anos. Há que ver se a Liga quer falar», acrescentou, vincando que qualquer decisão tem de ser tomada após acordo entre todos os intervenientes.

Na mesma entrevista, o dirigente abordou ainda temas como o fim do contrato de Messi com o Barcelona e a candidatura ibérica ao Mundial 2030. «Se não acreditasse que não podemos ganhar, não a tínhamos apresentado. Com o apoio do Governo e com o rei Felipe como padrinho, temos muitas possiblidades. Temos todos de contribuir, mesmo os que pensam que o futebol é só dar uns pontapés na bola. (...) Messi? Não vou entrar na questão das normas económicas [n.d.r.: tetos salariais] da La Liga. Como adepto de futebol, quer que os melhores estejam em Espanha. Neste momento 14 dos futebolistas da seleção espanhola estão fora do país. Oxalá pudessem ficar e os melhores também viessem para cá», rematou.

Relacionados

Patrocinados