"Vamos antecipar Abril": professores juntam partidos políticos e promovem manifesto em defesa da Escola Pública

23 jan, 14:14
Cartaz Missão Escola Pública

Movimento cívico Missão Escola Pública escolheu o Largo do Carmo, em Lisboa, e o dia 10 de fevereiro para apresentar o documento

O movimento cívico de professores Missão Escola Pública elaborou um manifesto em defesa da Escola Pública e vai juntar os vários partidos políticos e figuras de proa da área da Educação num protesto no Largo do Carmo, em Lisboa, no dia 10 de fevereiro, para apresentar o documento. O local e a data não foram escolhidos ao acaso: o Largo do Carmo está historicamente ligado à revolução de Abril e o dia marca um mês a anteceder as eleições legislativas antecipadas.

Sob o lema "Vamos antecipar Abril", o movimento apartidário e sem filiação sindical convidou todos os partidos políticos a estarem presentes. O PAN – Pessoas, Animais, Natureza e o Livre já confirmaram presença e a Missão Escola Pública espera resposta positiva dos restantes movimentos políticos.

“O Manifesto pela defesa da Escola Pública será entregue aos representantes dos partidos políticos que podem vir a formar Governo através das eleições do dia 10 de março. O documento vai conter as linhas que consideramos fundamentais para a Educação e para a Escola Pública no próximo programa de Governo”, esclarece o movimento.

Além dos partidos políticos, a Missão Escola Pública convidou também figuras de proa da educação e estruturas sindicais do setor a estarem presentes na iniciativa. “O nosso objetivo é unir a sociedade em torno da Educação e da Escola Pública, que foi uma das conquistas de Abril”, esclarece Cristina Mota, uma das porta-vozes do movimento.

O protesto em forma de debate está assim marcado para 10 de fevereiro, às 15:00, no Largo do Carmo, em Lisboa.

Educação

Mais Educação

Patrocinados