Ensino Superior: Nunca houve tantos alunos colocados em Medicina e há mais candidatos a professores primários do que no ano passado

26 ago 2023, 23:59
Universidade de Lisboa - Faculdade de Direito

As listas de colocados nas universidades e politécnicos do país já são conhecidas. As matrículas arrancam já esta segunda-feira e prolongam-se até quarta-feira

Entraram, este ano, no Ensino Superior, 49.438 estudantes, de acordo com as listas divulgadas este domingo. São menos 0,7% de colocados do que no concurso de 2022. Apresentaram-se a concurso, nesta primeira fase, 59.073 candidatos, menos 4% do que na mesma fase do ano anterior.

A taxa de colocação este ano situa-se nos 84%, sendo que 56% ficaram colocados na primeira opção e 87% foram colocados numa das três primeiras opções a que se candidataram.

Nesta primeira fase do concurso de 2023 foram colocados o maior número de sempre de estudantes em cursos de Medicina, de acordo com nota do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior enviada às redações. Numa altura em que se debate em público a falta de médicos no Serviço Nacional de Saúde, há mais 1.595 candidatos a médicos a entrar na Universidade. Mais 51 estudantes colocados em cursos de Medicina do que em 2022.

Outra área que se debate com falta de profissionais é o ensino. Pelo que é de registar um aumento de 21% de estudantes colocados em licenciaturas de Educação Básica, em relação ao ano passado. São 923 candidatos a professores do Ensino Básico, que ocuparam 97% das vagas disponibilizadas nesta primeira fase.

As matrículas para os estudantes colocados nesta primeira fase decorrem entre 28 e 30 de agosto.

Para a segunda fase, sobram 5.212 vagas. De acordo com o Ministério, é o menor número de vagas sobrantes desde 1999. As candidaturas à segunda fase decorrem entre 28 de agosto e 5 de setembro e os resultados devem ser conhecidos a 17 de setembro.

Veja também:

Os resultados das colocações são anunciados quase duas semanas mais cedo do que no ano passado, quando as listas de colocação foram conhecidas a 10 de setembro.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior anuncia também uma antecipação nas decisões dos requerimentos de bolsas de estudo. “A atribuição de bolsa de estudo requerida por estudantes beneficiários de abono de família até ao 3.º escalão será já decidida e notificada de imediato, após o que seguirão as decisões relativamente aos candidatos à atribuição de bolsas + Superior, que visam apoiar a fixação de estudantes em instituições localizadas no Interior”, pode ler-se no comunicado enviado às redações.

O Governo aprovou, para este ano letivo, um reforço dos apoios sociais atribuídos aos estudantes do ensino superior tendo em vista alagar o universo de beneficiários e o apoio ao alojamento. Está previsto um alargamento do limiar de elegibilidade, um aumento do valor máximo da bolsa de estudo e um aumento dos complementos de alojamento face ao ano letivo anterior.

Educação

Mais Educação

Patrocinados