Pedro Nuno deixa Durão sem resposta mas responde a quem na AD fala em milícias armadas, em dificultar acesso ao aborto e em associar imigração a insegurança

1 mar, 13:39
Pedro Nuno Santos (Lusa)

Socialista lamenta discursos recentes de candidatos da AD

O secretário-geral do PS acusa a Aliança Democrática (AD) de causar “alarmismo e divisão na sociedade portuguesa”. É a resposta de Pedro Nuno Santos aos sucessivos casos lançados por membros da coligação de direita nos últimos dias.

Entre eles está a ideia de um novo referendo sobre o aborto defendida por Paulo Núncio (que elogiou o governo PSD/CDS por ter sido "dos primeiros no mundo a dificultar o acesso ao aborto"), o cenário de milícias armadas nos agricultores por avançada por Eduardo Oliveira e Sousa e a associação da imigração à insegurança feita por Pedro Passos Coelho.

“Já não é algo isolado. Não podemos dizer que temos grandes listas, grandes candidatos, e depois dizer que não temos nada que ver com isso”, afirmou Pedro Nuno Santos no final de uma visita ao hospital da Covilhã.

Sobre Eduardo Oliveira Sousa, cabeça de lista da AD por Santarém, Pedro Nuno Santos disse tratar-se de alguém com um discurso de “negação climática”.

Pedro Nuno Santos recusou ainda responder às declarações do antigo primeiro-ministro do PSD, Durão Barroso, que o acusou de ser imaturo.

“Não podemos dividir portugueses, colocar portugueses contra portugueses. Isso é voltar ao passado”, insistiu.

Decisão 24

Mais Decisão 24

Patrocinados