Trump e Orban no palco no Texas em encontro de ativistas conservadores

CNN , Michael Warren
4 ago, 21:27
Primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán (AP Photo/Geert Vanden Wijngaert)

Donald Trump e Viktor Orban preparam-se para subir ao palco no Texas, nos Estados Unidos, enquanto ativistas se reúnem para um encontro entre conservadores

O antigo Presidente dos EUA Donald Trump, que está a ponderar quando irá anunciar a sua esperada terceira candidatura para a nomeação presidencial pelos republicanos, irá dirigir-se a uma reunião de ativistas conservadores este fim-de-semana.

No sábado, Trump proferirá o discurso final da CPAC Texas, uma das declinações da Conservative Political Action Conference [à letra: Conferência da Ação Política Conservadora]. O encontro começa na quinta-feira e é organizado pela União Conservadora Americana [que se define pelo slogan “Defendendo a Liberdade. Salvando a América” e garante ser “o maior e mais influente encontro de conservadores do mundo”].

Entre aqueles que comparecerão em Dallas encontram-se funcionários republicanos eleitos, candidatos do Partido Republicano nas próximas eleições intercalares e até Viktor Orban, o primeiro-ministro húngaro nacionalista de linha dura, que está agendado para falar na quinta-feira.

O CPAC e os seus organizadores continuam amigos de Trump, e os ativistas conservadores presentes têm apoiado de forma esmagadora o seu futuro político. Trump ganhou facilmente sondagens informais realizadas em eventos como este desde que deixou o cargo, inclusive no CPAC de 2022 em fevereiro e no CPAC de 2021 no Texas no Verão passado.

Ainda assim, o discurso de Trump surge à medida que a sua posição no seio dos republicanos se mantém forte mas está ligeiramente diminuída. Meses de resultados desiguais para os seus candidatos preferidos nas primárias republicanas demonstraram pequenas fissuras na sua lealdade, de resto esmagadora, entre os eleitores do Partido Republicano. E as audições televisivas de Verão pela comissão de seleção da Câmara que investiga o 6 de Janeiro de 2021, o ataque ao Capitólio dos EUA, deram destaque ao caso contra as ações de Trump que se avizinha e durante o motim.

Desde então, Trump tem visto outros potenciais rivais para a nomeação republicana em 2024 -- incluindo o governador da Florida, Ron DeSantis, e o ex-vice-presidente Mike Pence.

Nem DeSantis nem Pence falarão esta semana, mas outros potenciais candidatos do Partido Republicano à presidência estão agendados para comparecer, incluindo o governador do Texas, Greg Abbott, que concorre a um terceiro mandato em novembro, e os senadores Ted Cruz, do Texas, e Rick Scott, da Florida.

Também estão presentes vários candidatos republicanos no escrutínio em meados de novembro, incluindo o candidato nomeado pelo Senado J.D. Vance, do Ohio, os candidatos do governo Kari Lake do Arizona e Tudor Dixon do Michigan, e a candidata da Câmara Sarah Palin do Alasca - todos eles endossados por Trump.

O apelo de Orban aos conservadores

Entre as figuras mais controversas convidadas a falar no CPAC Texas está Orban, que tem sido abraçado por elementos do movimento conservador americano nos últimos anos.

O líder nacionalista europeu tem impulsionado políticas de imigração restritivas e reprimiu as instituições democráticas na Hungria, ao mesmo tempo que consolida o seu próprio poder.

Orban também foi condenado por comentários vistos como racistas, anti-imigrantes e anti-semitas. No mês passado na Roménia, Orban proferiu um discurso que um assessor de longa data denunciou como "texto nazi puro" na sua carta de demissão subsequente.

Nos seus discursos na Roménia, Orban fez comentários que foram interpretados como piadas sobre o uso nazi de câmaras de gás contra o povo judeu, o que foi condenado pelo Comité Internacional de Auschwitz. E disse também à multidão que os europeus não se querem misturar com pessoas de fora do continente. "Foi por isso que sempre lutámos: estamos dispostos a misturar-nos uns com os outros, mas não queremos tornar-nos povos de raça mista", disse Orban.

Mas a retórica nacionalista de Orban conquistou alguns admiradores entre os conservadores nos Estados Unidos, incluindo Trump, que se encontrou recentemente com Orban no seu clube de golfe de Bedminster, em New Jersey. Trump apoiou a proposta de Orban para outro mandato no início deste ano e elogiou repetidamente o líder húngaro - inclusive durante uma visita à Casa Branca em 2019.

Outro fã de Orban's é o apresentador da Fox News Tucker Carlson, que viajou para o país da Europa Central no ano passado e apresentou o seu programa a partir de Budapeste. E no início deste ano, Orban elogiou Carlson durante um discurso no CPAC Hungria, um evento em Budapeste co-patrocinado pela União Conservadora Americana.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados