Pegadas de dinossauros com 100 milhões de anos encontradas num restaurante na China

CNN , Jessie Yeung e Yong Xiong
24 jul, 16:00
Pegadas de dinossauros de há 100 milhões de anos encontradas num restaurante na China

No sudoeste da China foram descobertas pegadas de dinossauros que datam de há 100 milhões de anos, quando um observador de olhar mais atento as detetou no pátio exterior de um restaurante.

Os vários fósseis existentes na pedra, no pátio do restaurante em Leshan, província de Sichuan, continham as pegadas de dois saurópodes, um tipo de dinossauro que viveu durante o início do período Cretáceo, afirmou Lida Xing, paleontólogo e professor associado da Universidade de Geociências da China.

A equipa de Xing confirmou a descoberta no sábado passado, utilizando um scanner 3D.

Os saurópodes, conhecidos pelos seus longos pescoços e caudas, foram os maiores animais de sempre a habitar a Terra. Podiam crescer até ao comprimento de três autocarros escolares e eram tão pesados que o solo devia tremer e ressoar à medida que caminhavam.

Os dois saurópodes que deixaram aquelas pegadas mediriam, provavelmente, cerca de 8 metros (26 pés) de comprimento do corpo, acrescentou Xing.

As pegadas de dois saurópodes, descobertas em Leshan, Sichuan, China. Fotografia - Cortesia: Lida Xing

Embora muitos fósseis de dinossauros do período Jurássico tenham sido descobertos em Sichuan, foram encontrados muito menos fósseis do período Cretáceo. O período Cretáceo foi quando "os dinossauros prosperaram realmente", explicitou Xing, acrescentando, "esta descoberta é na realidade como um quebra-cabeças, acrescentando uma nova evidência ao período Cretáceo em Sichuan e à diversidade dos dinossauros".

O rápido desenvolvimento da China nas últimas décadas tornou a paleontologia - o estudo da vida antiga através de registos fósseis - mais difícil, lamentou Xing.

"É raro encontrar fósseis na cidade, porque todos eles estavam soterrados por baixo dos edifícios", disse ainda. Assim que recebem alguma informação sobre locais onde possam realizar-se potenciais descobertas (no limite num prazo de 48 horas), a sua equipa procurará visitá-los, por medo de "serem destruídos devido a obras de construção no prazo de alguns dias", acrescentou ele.

Antes de ser um restaurante, o local era utilizado como uma exploração avícola, com as pegadas de dinossauros enterradas debaixo de camadas de terra e areia – que as protegeram da erosão e dos danos climáticos.

Lida Xing e a sua equipa visitaram o local após receberem uma informação de um restaurante sobre a existência de possíveis pegadas de dinossauros. Fotografia - Cortesia: Lida Xing

A sujidade só foi removida há cerca de um ano quando o restaurante abriu. O proprietário gostou do aspeto natural da pedra irregular, por isso deixou-a intocada em vez de a nivelar com cimento, explicou Xing.

Como resultado, "estas pegadas estavam bem protegidas", disse Xing. "Quando lá fomos, descobrimos que as pegadas eram muito profundas e bastante óbvias, mas ninguém tinha pensado nisso (nessa possibilidade)".

O proprietário do restaurante cercou agora o local para evitar que as pessoas pisassem os fósseis, e predispôs-se a construir um barracão para proteger ainda mais as pegadas, disse Xing, acrescentando que isso era um sinal bem-vindo da existência de um maior interesse pela área científica entre o público.

"Se fosse há 10 anos, ninguém me enviaria fotografias de possíveis (fósseis ou pegadas) de dinossauros ", disse ele. "Mas agora, recebo bastantes fotos de cidadãos normais, e confirmo várias pegadas de dinossauros todos os anos".

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados