Maló de Abreu, Filipe Melo, Rui Afonso. André Ventura revela cabeças de lista do Chega

20 jan, 13:09
André Ventura (Lusa/Estela Silva)

André Ventura confirmou que António Maló de Abreu, o até há pouco tempo deputado do PSD, vai encabeçar a lista do Chega no círculo fora da Europa. Também Manuel Magno Alves, antigo número dois do PSD nesse mesmo círculo, vai também fazer parte das listas do Chega. Ventura acusou a direita de estar “mais preocupada com ajustes de contas diretos”, o que se vê no facto de Pedro Passos Coelho não ter sido convidado para a convenção da Aliança Democrática

André Ventura anunciou este sábado os cabeças de lista do Chega para as eleições legislativas. Apesar de ainda não estarem completas, o presidente do partido garante que as listas do partido contam com António Maló de Abreu, como foi avançado em primeira mão pela CNN Portugal, e com Manuel Magno, dois antigos membros do PSD.

As listas contam assim com:

  • André Ventura – cabeça de lista por Lisboa
  • Filipe Melo – cabeça de lista por Braga
  • Rui Afonso – cabeça de lista pelo Porto
  • José Dias Fernandes – cabeça de lista pela Europa
  • António Maló de Abreu – cabeça de lista pelo círculo fora da Europa

O presidente do Chega revelou ainda que as listas se encontram em “fase de finalização” e que ao longo da próxima semana vão ser anunciados os restantes nomes. André Ventura explicou que as listas para as eleições legislativas são “construídas com base no diálogo entre o presidente do partido e as suas estruturas distritais e os órgãos nacionais”.

O líder do partido aproveitou o discurso para reafirmar que o Chega está concentrado em “promover uma alternativa ao socialismo”. “É incompreensível que a 50 dias das eleições haja grupos a viabilizar um Governo do PS. O Chega em caso algum viabilizará um Governo do PS, da nossa parte a dúvida é zero”, garantiu, acusando o PSD de estar "preparado para dar a mão ao PS" e para viabilizar um eventual governo minoritário socialista.

"O PSD perdeu o ADN de referência e o seu espírito de oposição e deixou de ser uma verdadeira alternativa ao socialismo”, disse. É assim que André Ventura justifica a “aproximação” de membros do PSD e até da Iniciativa Liberal ao partido que lidera.

É o caso de António Maló de Abreu, a quem o presidente do Chega admite ter endereçado um pedido formal para integrar a lista do partido no círculo fora da Europa. O mesmo acontece com Manuel Magno Alves, o antigo número dois do PSD no círculo fora da Europa, que “desiludido com o caminho profundo de inércia” do partido de Luís Montenegro, fará parte das listas do partido. “É um grande orgulho abraçarmos e acolhermos aqueles que vierem por bem”, diz Ventura.

“É compreensível que o Chega tenha sido a última casa e a casa possível para muitos que, desiludidos com o PSD, com o clima de anuência ao PS e a incapacidade carismática, encontrem no Chega a única alternativa possível”, considera ainda, acusando a direita de estar “mais preocupada com ajustes de contas internos e com egos que mais não são do que medos de sombras”, que diz ser visível no facto de Pedro Passos Coelho não ter sido convidado para a convenção da Aliança Democrática.

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados