Estas são as cidades mais caras do mundo para se viver (a número 1 não é surpresa nenhuma)

CNN , Lilit Marcus
10 jun, 22:00

A empresa de mobilidade global ECA International divulgou a sua lista anual das cidades mais caras do mundo para se viver e, mais uma vez, Hong Kong ficou no topo da lista.

A empresa calcula a lista com base em vários fatores, incluindo o preço médio de produtos domésticos essenciais como leite e óleo de cozinha, rendas, serviços públicos, transportes públicos e a força da moeda local.

Este é o terceiro ano consecutivo que Hong Kong reivindica a duvidosa honra de ser a cidade mais cara do mundo no índice ECA. O índice centra-se especificamente em trabalhadores estrangeiros e expatriados nos seus rankings.

Ásia recebe o prémio

É seguro dizer que a Ásia é o continente mais caro, com cinco cidades -- Hong Kong, Tóquio, Xangai, Guangzhou e Seul -- no top 10.

Alguns reguladores incluem o Médio Oriente na Ásia. Nesse caso, Telavive -- que está em sexto lugar -- também conta para o total da Ásia e daria seis em 10 lugares.

A Ásia também reclama a honra de ser a casa da cidade que mais cresce na lista geral. Estamos a falar de Colombo, a metrópole principal do Sri Lanka, que saltou 23 lugares de 162 para 149.

Lee Quane, diretor regional da ECA para a Ásia, explicou o raciocínio para a crescente presença da China continental no índice.

"A maioria das cidades chinesas do continente no nosso ranking tem taxas de inflação mais altas do que estamos habituados a ver, mas ainda são tipicamente mais baixas do que em qualquer outra parte da Ásia", disse Quane em comunicado. "Portanto, a principal razão para a sua subida no ranking tem sido a força contínua do yuan chinês em relação a outras grandes moedas."

Mais abaixo na lista

Então, que cidades estão mais abaixo do que em anos anteriores?

Paris, que no passado liderou a lista da ECA, abandonou o top 30. Madrid, Roma e Bruxelas também caíram.

"Quase todas as principais cidades da Zona Euro tiveram uma queda no ranking este ano, uma vez que o euro teve um desempenho pior nos últimos 12 meses do que o dólar norte-americano e a libra britânica", explica Quane.

Fatores externos como a política e os conflitos internacionais também podem desempenhar o seu papel. A invasão russa da Ucrânia e as sanções impostas por muitos países fizeram com que Moscovo ocupasse o 62.º lugar e São Petersburgo aterrasse em 147.º lugar.

A cidade mais cara da Europa é Genebra, na Suíça, que ficou em terceiro lugar, atrás de Hong Kong e Nova Iorque. A Suíça utiliza o franco suíço em vez do euro.

A pandemia do coronavírus desempenhou, naturalmente, um papel nas cadeias de abastecimento globais e noutros fatores económicos.

Outros rankings

A ECA International não é a única empresa que classifica as cidades mundiais com base na economia.

A Unidade de Inteligência Economista (EIU), sediada em Londres, lança o seu Índice do Custo de Vida Mundial em dezembro de cada ano. Em 2021, Telavive levou o prémio de lugar mais caro para viver, com Paris e Singapura empatadas em segundo.

Hong Kong ficou no quinto lugar, atrás de Zurique. Em 2020, Hong Kong, Zurique e Paris partilharam a designação de número um.

Ambas as listas usam os preços dos itens do quotidiano, como mercearias e combustível, para determinar os seus rankings. No entanto, a EIU liga os seus números ao dólar norte-americano, pelo que as economias que fazem a mesma coisa -- como Hong Kong, por exemplo - são mais propensas a ter uma classificação alta.

De qualquer forma, independentemente da ordem em que as cidades estão listadas em diferentes índices, é evidente que as cidades asiáticas, europeias e norte-americanas são muito mais caras para se viver do que as suas congéneres em África e na América do Sul.

As cidades mais caras do mundo

1. Hong Kong

2. Nova Iorque

3. Genebra

4. Londres

5. Tóquio

6. Telavive

7. Zurique

8. Xangai

9. Guangzhou

10. Seul

Maureen O'Hare, da CNN, contribuiu com reportagens.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados