Expulsão de ex-Presidente chinês à frente das câmaras é uma “encenação para fora”: “A aproximação ao Ocidente acabou. A China é a partir de agora um player agressivo”

22 out, 14:08

Hu Jintao foi retirado à força do 20.º Congresso do Partido Comunista, este sábado. Reformas e pensamento político do ex-chefe de Estado "podem ser afastados da doutrina oficial" do partido

O especialista em diplomacia Tiago André Lopes afirma que este episódio é uma “encenação” para assinalar que aquilo que Hu Jintao representa faz parte de uma “era que já acabou”. “Hu Jintao poderia ter sido afastado por causa da saúde, que é o que está a ser avançado nas redes sociais chinesas. Mas a questão é que, se fosse por motivos de saúde, ele não estaria no salão", diz à CNN Portugal Tiago André Lopes.

"O facto de ele estar no salão, de ser afastado por dois seguranças dirigindo palavras a Xi Jinping - e este apenas acenar com a cabeça -, é claramente um sinal que Xi Jinping quer dar de que aquilo que Hu Jintao representa - como a abertura do partido, a aproximação ao Ocidente e a Washington - é uma era que acabou. É uma encenação para fora para dizer, acima de tudo, que acabou esta era da cooperação estratégica, das relações diplomáticas serenas e do multilateralismo não competitivo. A China é, a partir de agora, um player agressivo. Xi está a marcar sobretudo posição e força”, considera o professor.

Quanto ao futuro de Hu Jintao e do seu legado, o docente da Universidade Portucalense perspetiva que este possa ser apagado da História do partido e do país. "Pode nunca mais aparecer em eventos do partido e também pode acontecer que as reformas e o seu pensamento político sejam afastados da doutrina oficial. Tudo o que ele fez pode começar a ser branqueado para dar a ideia que não aconteceu. É muito provável que haja aqui uma tentativa de relativizar o papel de Hu Jintao durante a fase de democratização do partido”, diz, apontando também para a questão de Taiwan, cujas relações com a China melhoraram levemente durante o mandato de Hu Jintao.“Há uma semana, Xi Jinping disse que não descartava o uso da força e afirmou que a China tinha o direito de usar a força para tomar o controlo de Taiwan. Também elogiou a ação musculada da China em Hong Kong, o que já nos dá aqui uma ideia de até onde as coisas podem ir. A partir do momento em que a posição é esta, parece-me muito claro que Xi Jinping quer mostrar que a política da China Única e da China Una é para ser implementada.”

Hu Jintao foi retirado à força do 20.º Congresso do Partido Comunista, este sábado. O ex-chefe de Estado, de 79 anos, foi abordado por um oficial do partido para que abandonasse o lugar ao lado do presidente Xi Jinping. Hu Jintao aparentou, por várias vezes, mostrar a intenção de querer permanecer mas acabou mesmo por ser retirado à força, não sem antes dirigir algumas palavras para Xi, que acenou afirmativamente ao que foi dito, e ter tentado retirar um documento que o presidente tinha à sua frente. O governo chinês não divulgou qualquer explicação para o sucedido.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados