Esfaqueamentos no Canadá: Myles terá matado irmão Damien e permanece em fuga. Buscas centram-se em reserva indígena

Agência Lusa , NM
6 set, 22:12
Damien Sanderson e Myles Sanderson, suspeitos dos ataques no Canadá (Associated Press)

Polícia pediu a todos os que vivem na zona para não saírem de casa nem abrirem a porta a estranhos

A polícia canadiana está a investigar a possível presença de Myles Sanderson, um dos dois alegados autores do assassínio de dez pessoas no noroeste do Canadá, na reserva indígena James Smith Cree Nation.

As autoridades pediram aos residentes da reserva indígena, formada por três comunidades e onde vivem cerca de 1.000 pessoas, que não saiam de casa e não abram a porta a estranhos.

A emissora pública canadiana, CBC, informou que moradores na James Smith Cree Nation, localizada na província de Saskatchewan, teriam avistado Myles Sanderson na reserva indígena.

A polícia considera Myles Sanderson, de 30 anos, e o seu irmão Damien Sanderson, de 31 anos, autores dos esfaqueamentos múltiplos que mataram dez pessoas e feriram outras 18 no domingo em James Smith Cree Nation e na cidade vizinha de Weldon.

As autoridades não revelaram um possível motivo para os ataques, embora um líder indígena de Saskatchewan tenha relacionado os ataques ao tráfico de droga.

Na segunda-feira, as forças de segurança localizaram o corpo de Damien Sanderson na reserva indígena. A polícia adiantou que morreu por ferimentos provocados por outra pessoa.

Já esta terça-feira, disseram que estava a ser investigado de Damien Sanderson foi morto pelo seu irmão, que se acredita ter se refugiado na cidade de Regina.

Myles Sanderson é procurado desde maio de 2022 por não cumprir as condições da sua liberdade condicional.

O fugitivo havia sido condenado a cinco anos de prisão por agressão, roubo, conduta maliciosa e ameaças, mas, depois de ter sido solto para cumprir liberdade condicional, desapareceu.

Relacionados

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados