Gwyneth Paltrow abre as portas da luxuosa casa dos seus sonhos

CNN , Leah Dolan
9 fev, 10:00
Gwyneth Paltrow

Em 2015, Gwyneth Paltrow começou a construir a sua casa de sonho, após ter encontrado, por acaso, um lote abandonado à venda em Montecito, Califórnia, numa aplicação imobiliária.

Agora, ao abrir as portas da propriedade acabada para a revista “Architectural Digest”, a atriz galardoada com um Óscar e, atualmente, guru de estilo de vida, falou sobre a "longa e árdua jornada" que teve para transformar o local degradado na casa dos seus sonhos.

"Era como no filme ‘Grey Gardens’", disse Paltrow para o seu próximo artigo de capa do mês de março. A atriz referia-se à terrível e desprestigiada propriedade, outrora habitada por parentes de Jackie Kennedy. "Viviam lá animais selvagens e havia enxames de insetos, mas eu apaixonei-me pelo terreno e pela paisagem.”

A casa de Paltrow é térrea e comprida. Créditos: Yoshihiro Makino/ “Architectural Digest”

Para supervisionar o projeto, Gwyneth Paltrow contou com a ajuda de Robin Standefer e Stephen Alesch. Os dois são os fundadores da empresa de arquitetura que projetou a primeira loja “pop-up” e sede da “Goop”, a marca de bem-estar e estilo de vida da atriz.

Juntos, eles projetaram uma casa pacata, inspirada num celeiro. Agora, a atriz partilha esta mansão com o seu marido, o escritor-produtor Brad Falchuk.

"A intensidade da casa está presente nas subtilezas da luz e do espaço", diz Paltrow. "Passámos muito tempo a avaliar os padrões familiares, a forma como realmente vivemos e o que nos deixa mais confortáveis. Queríamos focar-nos na experiência e na emoção.”

Pode considerar-se a “Goop” como uma marca da nova era. Contudo, a atriz sempre alegou que, apesar de por vezes controversos, os seus produtos e sugestões, tais como os ovos “yoni” ou os banhos de vapor vaginais, são inspirados em técnicas de cura antigas. Enquanto a sua casa em Santa Barbara parece estar livre da “influência das características da empresa ‘Goop’”, como descreve a “Architectural Digest”, o “design” utilizado tem as subtilezas do gosto da atriz pelos princípios ancestrais de bem-estar.

A sua valorização pela antiguidade reflete-se na sua casa térrea. As paredes de pedra foram construídas de forma a imitar a técnica de alvenaria, cuja origem data do período Neolítico. A casa também dispõe de um “spa” com uma claraboia e está revestido com azulejos verdes. A inspiração desta divisão remonta à época da Roma antiga. Encontramos na moradia, de igual modo, várias lareiras de pedra do século XVIII, que apresentam marcas de erosão, bem como peças de cerâmica.

Contudo, a casa é mais moderna do que possa parecer. Para começar, funciona inteiramente com energia solar e usa um sistema de reaproveitamento de águas residuais dos lavatórios, das cabines de duche e das banheiras. "Uma casa deve refletir as características físicas e o caráter do seu dono", disse Standefer, o arquiteto que também foi entrevistado pela revista. “Esta casa leva em conta a estatura, o foco, a beleza e a essência da Gwyneth. Vemos isso nos detalhes, nas proporções e nos acabamentos.”

A edição de março da revista “Architectural Digest” apresenta Gwyneth Paltrow. Créditos: Yoshihiro Makino/ “Architectural Digest”

O espírito clássico também é compensado pela iluminação contemporânea e pelos móveis extravagantes, fluidos e com formas pós-modernas. Para criar o que a atriz descreveu como um "apartamento parisiense dentro de um antigo celeiro europeu", Paltrow pediu ajuda à “designer” de interiores e amiga chegada Brigette Romanek. Gwyneth admitiu que a amiga é mais contemporânea do que ela.

Como tal, há na casa uma fusão entre materiais antigos. Estes são o resultado de experiências emocionantes. Exemplo disso é o bar esculpido em pedra mármore cor-de-rosa.

Paltrow disse à revista: “Eu queria esforçar-me. Além disso, eu sabia que seria divertido.”

Luxo

Mais Luxo

Na SELFIE

Patrocinados