Santos garante que não convidou Robinho para churrasco

28 fev, 10:24
Robinho regressou às origens

Antigo jogador foi condenado em Itália a nove anos de prisão

Robinho é alvo de nova polémica no Brasil, depois de ter sido visto a confraternizar com o plantel do Santos nas instalações do clube, numa altura em que o Ministério Público brasileiro está a analisar um pedido da justiça italiana para que o antigo internacional brasileiro cumpra uma pena de nove anos de prisão por violação em grupo. O clube paulista já veio a público garantir que não convidou o antigo jogador.

Em comunicado, o Santos confirma que Robinho esteve de facto no Centro de Treinos Rei Pelé, mas apenas para acompanhar o filho Robson que joga na equipa de sub-17 que foi fazer um exame médico.

Robinho acabou por cruzar-se com os jogadores do atual plantel que estavam a confraternizar num churrasco oferecido pela direção do clube a assinalar o bom arranque do plantel no Paulistão.  

«O Santos esclarece que o ex-jogador Robinho esteve nesta terça-feira (dia 27 de fevereiro) no CT Rei Pelé, para acompanhar o seu filho, Robson, atleta da categoria sub-17, em exame médico e apenas cumprimentou os participantes do churrasco realizado no local para o elenco, comissão técnica e diretoria. O clube deixa claro que não houve convite, muito menos a participação na confraternização», escreveu o clube numa nota.

Segundo a imprensa brasileira, não é a primeira vez que Robinho é visto nas instalações do Santos, pelo contrário, é habitual o antigo jogador acompanhar os treinos do filho e, sempre que aparece, é muito solicitado pelos funcionários do clube para dar autógrafos ou tirar fotografias.

Recordamos que Robinho foi condenado, em janeiro de 2022, a nove anos de prisão, em Itália, a par do amigo Ricardo Falco, por violência sexual em grupo, por violação de uma mulher de origem albanesa numa casa de banho de uma discoteca de Milão, em 2013, quando o jogador representava o Milan.

Robinho acabou por não cumprir pena, uma vez que a legislação brasileira não permite a extradição de cidadãos do país, mas a justiça italiana pediu, entretanto, que o antigo jogador cumpra a pena no Brasil. O caso está ainda a ser analisado.

Relacionados

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados