Maior guindaste da costa leste dos EUA começa a retirar destroços da ponte que ruiu em Baltimore

Agência Lusa
30 mar, 09:04
Um carro está parado na extremidade da ponte Sunshine Skyway, que atravessa a baía de Tampa, na Flórida, depois de o cargueiro Summit Venture ter atingido a ponte durante uma tempestade e arrancado grande parte do vão, a 9 de maio de 1980. Um navio porta-contentores embateu numa grande ponte em Baltimore na madrugada de terça-feira, 26 de março de 2024, fazendo-a cair no rio abaixo. De 1960 a 2015, registaram-se 35 grandes colapsos de pontes em todo o mundo devido à colisão de navios ou barcaças. (AP Photo/Jackie Green, Ficheiro)

Esforços para recuperar os corpos das outras quatro vítimas mortais estão paralisados por enquanto devido à presença de destroços

O maior guindaste da costa leste dos Estados Unidos chegou este sábado a Baltimore numa barcaça para retirar os destroços da ponte que ruiu na terça-feira devido à colisão de um navio, acidente que provocou seis mortos e avultados prejuízos.

Este equipamento pode levantar até 1.000 toneladas de peso e será um dos guindastes que estarão envolvidos nos trabalhos de limpeza do canal dos restos de metal e betão que restam da ponte Francis Scott Key em Baltimore, indicou o governador de Maryland, Wes Moore, que garantiu que está tudo a ser feito "a todo o vapor" para reabrir o canal e reativar o trânsito.

Antes do início da remoção, está a ser feita uma avaliação dos escombros, considerada "fundamental" antes de retirá-los da água para determinar o tamanho em que os pedaços da ponte deverão ser cortados para que os guindastes possam levantá-los, referem os ‘media’ locais.

"Quando se tem a oportunidade de ver esses restos de perto, compreende-se perfeitamente a enormidade do desafio", disse na quinta-feira o governador, que receberá na próxima terça-feira a visita do Presidente norte-americano, Joe Biden, que irá visitar a área.

Moore indicou ainda que no âmbito dos trabalhos que estão a ser realizados foram colocados mais de 730 metros de barreiras para conter qualquer possível fuga de poluição do navio que impactou a ponte.

De acordo com o Conselho Nacional de Segurança nos Transportes, 56 contentores do navio contêm materiais perigosos, na sua maioria corrosivos e inflamáveis, bem como algumas baterias de iões, enquanto 14 contentores contêm perfumes e sabonetes, entre outros itens.

Na quarta-feira, foram encontrados os corpos de dois dos mortos, latino-americanos e trabalhadores da construção civil. Os esforços para recuperar os corpos das outras quatro vítimas mortais estão paralisados por enquanto devido à presença de destroços, mas Moore garantiu que é uma prioridade.

O presidente da câmara de Baltimore, Brandon Scott, disse na quinta-feira que continua esperançoso de encontrar os corpos das outras quatro vítimas que permanecem sob os escombros da ponte.

O desabamento da ponte Francis Scott Key interrompeu a passagem de navios e provocou o encerramento do porto, um dos principais dos Estados Unidos da América (EUA) no Atlântico. O valor das mercadorias que circulam diariamente por estas instalações portuárias está entre 100 milhões e 200 milhões de dólares.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados